fbpx

5 mistérios que até hoje permanecem sem solução

Existem muitos mistérios ao redor do nosso planeta, e ainda que grande parte desses mistérios já tenha sido respondida ao longo do tempo, muitos ainda permanecem sem uma explicação completa.

Nessa lista, você vai conhecer cinco mistérios curiosos que até então nunca foram resolvidos.

1. Quem era o assassino do Zodíaco?

Quem era o assassino do Zodíaco
Wikimedia

Uma história tão curiosa e perturbadora, que acabou virando filme de sucesso, não poderia ser deixada de fora desta lista. O chamado “assassino do Zodíaco” foi responsável por pelo menos seis mortes na Califórnia-EUA, no final dos anos 1960. Mais de cinquenta anos se passaram e ninguém sabe quem foi o misterioso serial killer.

O caso chamou muita atenção por conta de cartas bizarras e assustadoras que o criminosos enviava para os jornais da época, com o intuito de ameaçar novos ataques caso seus enigmas não fossem publicados nos principais periódicos dos EUA.

Um de seus códigos chegou a ser decifrado, e resultou em uma mensagem que dizia, entre outras coisas, que o assassino “matava porque achava isso divertido”, e que as pessoas que ele matava seriam suas “escravas” em alguma outra dimensão. Por isso, ele afirmava estar “colhendo almas”.

O responsável pelos crimes nunca foi preso, sequer identificado. Só o que se tem sobre ele são os registros policiais, seus enigmas e um retrato falado.

2. Incidente do Passo Dyatlov.

WikiCommons

Em 2 de fevereiro de 1959, no meio dos Montes Urais, na antiga União Soviética, ocorreu um dos eventos mais assustadores e inexplicáveis do país. Um grupo de esquiadores acabou se perdendo da rota original no dia 1º de fevereiro daquele ano, e decidiu acampar no ponto que hoje é conhecido como “Passo Dyatlov” (em homenagem a Igor Dyatlov, líder da expedição).

Em circunstâncias até hoje totalmente inexplicáveis, os nove esquiadores foram mortos com sinais de crueldade, e encontrados com níveis consideráveis de radiação em suas roupas. As investigações da época dão conta de que os esquiadores rasgaram suas barracas de dentro para fora, e que apesar de não haver sinal de luta, alguns corpos foram encontrados com o crânio e costelas fraturadas.

Várias teorias surgiram para tentar explicar o ocorrido, já que a ausência de testemunhas faça com que seja muito difícil recontar o que de fato aconteceu. O que se sabe, no entanto, é que os ferimentos encontrados nos cadáveres apresentam um grau de severidade incapaz de ser provocado por seres humanos.

3. Pés humanos levados pelo mar até o Canadá.

Em eventos que se iniciaram em 2007, o Mar Salish, na British Columbia, Canadá, passou a “receber” em sua costa dezenas de pés humanos, quase sempre ainda com calçados. No começo, acreditou-se que poderia se tratar de alguma brincadeira de mau gosto, mas essa teoria foi totalmente descartada pelas autoridades.

No momento, a teoria mais aceita é a que afirma que os pés pertenciam a pessoas mortas em acidentes marítimos ou suicidas. Os peritos afirmam que os pés se desencaixam do resto do corpo durante o processo natural de decomposição.

Bizarro, não? Um pé em decomposição não é exatamente o que você espera encontrar quando vai à praia.

4. Pé-grande.

Pé-grande
Shutterstock

O pé-grande (também conhecido como Sasquatch) é uma suposta criatura que vive nas regiões de florestas norte-americanas, e que já foi alvo de várias histórias, lendas, supostos avistamentos e fantasias.

Apesar de já ter sido buscado seriamente por várias vezes, todas as vezes em que alguém afirmou ter de fato avistado o animal ou recolhido algo que a ele remetesse, comprovou-se farsa ou engano.

5. A doença do meteoro.

Falls and Finds

Em 2007, no mês de setembro, um meteorito provocou uma grande explosão que acabou por resultar em uma cratera de 4,5 metros de profundidade e 13 de largura em Carancas, no Peru. Além da explosão, o evento chamou atenção do mundo inteiro pelo que ocorreu depois.

Um cheiro extremamente forte passou a sair da cratera, onde havia se formado um acúmulo de líquido, e um vilarejo próximo ao local da queda foi afetado por uma onda de doenças com sintomas variados.

A principal teoria afirma que provavelmente a cratera fez com que a água subterrânea da região, contando arsênio, se misturasse com o enxofre presente nas rochas, criando uma combinação nociva para a saúde daqueles que entraram em contato com o vapor ou diretamente com a água.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.