5 fatos históricos curiosos sobre a vida do faraó egípcio Ramsés II

Um dos faraós mais famosos e prestigiados do Egito Antigo, Ramsés II gravou seu nome para sempre na história da humanidade. Seja na área militar ou cultural, suas contribuições para a antiga sociedade egípcia levaram a sua nação para um outro patamar, transformando o Egito em uma potência militar, deixando um grande legado em monumentos e obras de arte e até mesmo uma capital.

Wikicommons

Nessa lista, você vai conhecer alguns fatos importantes sobre a vida deste ícone da história do Egito.

Confira:

1. Campanhas militares

Wikicommons

Ramsés II foi responsável por um grande salto de potência bélica no Egito durante o seu reinado, entre 1279 a.C e 1213 a.C. Uma de suas principais campanhas foi a conquista de Biblos, em 1285 a.C, mas há também de se destacar a conquista de terras hititas e a revolução que o faraó fez no exército egípcio. Se antes o Egito não era tão respeitado, após Ramsés o Exército era temido por seu profissionalismo e poder de batalha.

2. Construção da capital

Ramsés II também entrou para a história ao construir a cidade de Pi-Ramsés, que se transformou na capital do Baixo Egito. A ideia por trás da construção era abrigar toda a corte egípcia, bem como os comandantes e generais mais importantes do Exército. Enquanto outros pontos centrais da nação, como Mênfis, Tebas e Heliópolis focavam nas áreas políticas e religiosas, Pi-Ramsés era a capital militar do Egito.

3. Mistérios escondidos

A história do Egito Antigo ainda intriga muitos pesquisadores e cientistas no mundo inteiro. Não é à toa, por exemplo, que estudos e expedições continuam sendo realizados para descobrir cada vez mais detalhes sobre a época.

Recentemente, uma pesquisa encabeçada pela Universidade de Nova Iorque descobriu centenas de artefatos dentro do depósito do mausoléu de Ramsés. Entre outras coisas, foram encontrados depósitos de cabeças e ossos de animais sacrificados. Além disso, os pesquisadores descobriram, no distrito de El-Matareya, um antigo local de comemorações que pertencia à época do reinado de Ramsés.

4. Viajando após a sua morte

Reprodução

Em 1974, depois de passar muitos anos exposto no Museu Egípcio do Cairo, os reponsáveis pela múmia de Ramsés II decidiram mandá-la para a França. Esta foi uma medida para garantir a integridade da múmia do antigo faraó, já que ela vinha se deteriorando por conta da ação de um fungo.

E para que a múmia pudesse deixar o Egito, ela precisou seguir a lei do país na época, que obrigava que todas pessoas (estivessem vivas ou mortas) precisavam de um passaporte para sair do território egípcio. Portanto, a solução foi dar a Ramsés, milhares de anos após a sua morte, um passaporte.

5. A múmia

Wikicommons

A múmia de Ramsés foi encontrada na tumba Deir el Bahri, na necrópole de Tebas. O corpo do antigo faraó fora mumificado logo após a sua morte, em 1214 a.C. Na mesma necrópole, foram encontrados os restos mortais de outros faraós, como Amenófis I, Seti I, Tutmés II, Ramsés I e Ramsés IX.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.