5 coisas assustadoras que a União Soviética comunista realmente fez

A Guerra Fria foi basicamente os EUA e a Rússia jogando um longo jogo para dirigir continentes inteiros. É um milagre termos passado por cima de tudo isso, considerando o quão agressivamente anti-comunista os EUA eram, e quão agressivamente incondicional a Rússia sempre foi. Por exemplo …

# 5. Stalin enviou 6.000 pessoas à “Ilha Canibal.” Ah…sim, ele também a criou.

Stalin enviou 6.000 pessoas à "Ilha Canibal."

Em 1933, 6.114 pessoas classificadas como “elementos ultrapassados”, que é um nome um tanto inócuo para pessoas indesejáveis, foram condenados à morte. Essas eram pessoas pobres e pequenos criminosos, que poderiam induzir outras nações a pensar que o comunismo não era realmente uma utopia perfeita.

Alguma coisa tinha que ser feita, então Stalin decidiu criar a “Ilha Canibal”, nas Ilhas de Nazino (Sibéria) e enviá-los para lá. Qualquer um que tentasse fugir era caçado pelos soldados. Não havia abrigos ou animais na ilha, pouca vegetação e absolutamente nenhum alimento. Não demorou muito para que os prisioneiros começassem a comer os mortos e, em seguida, ajudar os vivos a tornarem-se mortos um pouco mais rápido para que pudessem comê-los também. Os soviéticos, infelizmente, destruíram a maior parte dos documentos sobre o plano de Stalin e os eventos que ocorreram na Ilha de Nazino.

Fonte 1, Fonte 2, Fonte 3, Fonte 4

#4. A KGB usou castração para negociar a libertação de reféns

A KGB usou castração para negociar a libertação de reféns

Em 1985, os membros do grupo islâmico pró-iraniano Hezbollah sequestraram quatro adidos diplomáticos russos, a fim de forçar Moscou a pressionar a Síria a parar de matar muçulmanos xiitas no Líbano. A Rússia negou a proposta, então Hezbollah imprudentemente começou por matar um dos adidos, um homem com o nome de Arkady Katkov.

A KGB (principal organização de serviços secretos na Rússia) decidiu combater fogo com fogo e fez alguns sequestros por conta própria, encontrando e sequestrando parentes do líder xiita de Hezbollah. A KGB então exigiu a libertação dos reféns russos em troca da segurança dos que estes detiveram. Em vez de um jogo de apenas ameaças e negociações, a KGB preventivamente castrou um de seus reféns, em seguida enviou os genitais decepados ao Hezbollah, que os libertou imediatamente.

Fonte

# 3. A URSS matou e aprisionou milhares de cientistas por não concordarem que as plantas eram comunistas

A URSS matou e aprisionou milhares de cientistas por não concordarem que as plantas eram comunistas

Cerca de uma década depois da formação da União Soviética, Joseph Stalin conheceu Trofim Lysenko, um cientista com uma teoria de que o comunismo era o estado normal da natureza.

Primeiro de tudo, Lysenko não acreditava na seleção natural. Ele afirmou que os animais e até mesmo as plantas conscientemente trabalhavam juntos e transformaram-se para criar a versão mais perfeita do mundo quanto possível, assim como no comunismo.

É por isso que, segundo ele, um tipo de planta pode tornar-se espontaneamente um tipo completamente diferente de planta. Ele foi essencialmente pregando “a alquimia da planta”. Stalin era tão apaixonado por essas teorias que declarou-lhes a doutrina científica oficial da União Soviética. Qualquer um que se opusera era preso ou executado.

No final, cerca de 3.000 biólogos perderam seus empregos e / ou vida por isso.

Fonte 1, Fonte 2, Fonte 3

# 2. A União Soviética classificou ‘não estar totalmente de acordo com o comunismo’ como uma doença mental

A União Soviética classificou 'não estar totalmente de acordo com o comunismo' como uma doença mental

No papel, o objetivo da União Soviética (e do comunismo em geral) era nobre: a sociedade justa, onde todos são iguais, e ninguém recebe uma vantagem injusta. É uma grande ideia, certo? Então, logicamente, qualquer um que se oponha à utopia deveria ser mentalmente doente. Claro! Isso é o que psiquiatras russos figuraram também. Eles literalmente definiram o “desacordo” como insanidade, e dissidentes foram diagnosticados com “esquizofrenia progressiva.” Alguns dos sintomas da esquizofrenia progressiva incluíam: defender a reforma política, a perseverança ou lutar pela verdade.

Fonte 1, Fonte 2

# 1. A URSS foi terrivelmente descuidada com suas armas de fim do mundo

A URSS foi terrivelmente descuidada com suas armas de fim do mundo

Aralsk-7 era um centro de pesquisa localizado no Mar de Aral na Ilha Vozrozhdeniya. E nele milhares de pessoas foram infectadas com a varíola. Em 1971, Aralsk-7 estava realizando testes de campo com a bio-arma de varíola. E como a instalação era extremamente secreta, um navio de pesquisa não intencionalmente ficou muito perto da ilha, sem saber o perigo. O deslocamento dos ventos e quase total falta de segurança no laboratório expuseram o navio ao vírus. Um membro da tripulação ficou infectado e espalhou a doença para os demais. No final, mais de 50.000 pessoas na área circundante tiveram que ser vacinadas.

Em seguida, houve o tempo em que os soviéticos abandonaram um estoque nuclear no Cazaquistão: após o colapso da União Soviética, os russos estranhamente se afastaram do território deixando grandes reservas de plutônio para dezenas de bombas nucleares. Os EUA trabalharam com a Rússia e Cazaquistão para protegerem a maioria do material nuclear sob a Montanha Degelen. O problema é que ninguém tem qualquer ideia de quanto material havia, em primeiro lugar, então eles não sabem o quanto podem ter perdido, ou onde ficam exatamente.

Fonte 1, Fonte 2

Comentários
Carregando...