Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

4 razões pelas quais vivemos um Multiverso

A famosa teoria do multiverso sugere que nosso universo não é único, e na verdade compõe uma estrutura que abriga infinitos outros universos.

É verdade que é uma ideia que parece ter saído de um romance de ficção científica, mas a física por trás dela é bastante surpreendente, e plausível.

Acontece que não há apenas uma teoria que resulta em um multiverso – várias teorias independentes apontam para uma mesma conclusão. Segundo os físicos, é mais provável que exista outros universo do que o contrário.

Confira nesse artigo as 4 principais teorias que sugerem que vivemos um multiverso.

1 – Universos infinitos

Universos infinitos

Ainda hoje, há muitos debates sobre a real forma do espaço-tempo. A maioria dos cientistas defende a ideia de que ele é plano (e não esférico) e estende-se ao infinito e além. Se esse espaço-tempo dura para sempre, em algum ponto ele deve começar a se repetir, pois há um limite de formas pelas quais as partículas podem se organizar.

Portanto, se olharmos para longe o bastante, acabaremos encontrando uma outra versão de nós mesmos, ou melhor, infinitas versões. Muitas dessas suas cópias estarão lendo esse mesmo texto, enquanto outras vestiram uma roupa diferente essa manhã e outras terão trabalhos e escolhas de vida completamente diferentes da sua.

O universo “paralelo” ao nosso estaria a 13,7 bilhões de anos-luz de distância, onde acaba o nosso universo observável.

2 – Inflação eterna

Inflação eterna

Outra teoria que resulta em universos paralelos é a da inflação eterna. A inflação em si é a ideia de que o universo se expandiu extremamente rápido após o Big Bang, inflando como um balão (e todas as evidências apontam que esse realmente foi o caso). A inflação eterna, teoria proposta pelo cosmólogo Alexander Vilenkin, da Universidade Tufts, nos EUA, indica que alguns bolsões do espaço pararam de inflar, enquanto outros não, dando origem a vários universos isolados como “bolhas”.

Desse modo, nosso universo, onde a inflação já parou, permitiu que galáxias, estrelas e planetas se formassem, e é apenas um em um gigantesco mar de bolhas, algumas das quais ainda estão crescendo. Em outras bolhas, as leis da física podem ser ligeira ou completamente diferentes das nossas.

3 – Universos paralelos

Universos paralelos

Essa teoria é resultado da teoria das cordas, e sugere que universos paralelos pairam fora do alcance do nosso. Para essa teoria ser verdadeira, ela requer a existência de mais dimensões em nosso mundo, além das 3 espaciais e 1 temporal que estamos familiarizados.

Brian Greene, cientista da Universidade de Columbia, EUA, simplifica a teoria dizendo que o nosso universo é apenas um em vários mundos flutuantes em um espaço de dimensão mais elevada, como uma fatia de pão dentre de um gigantesco pão cósmico.

Alguns físicos ainda acreditam que esses universo podem de fato se colidir, eventualmente causando Big Bangs que redefinem universos.

4 – Universos filhos

Essa teoria é derivada da mecânica quântica, as leis físicas que governam o mundo subatômico. A física quântica descreve o universo com base em probabilidades, ao invés de resultados definitivos. Matematicamente, todos os resultados possíveis de uma determinada ação realmente ocorrem, criando universos alternativos. Por exemplo, se você chegar em uma encruzilhada e tiver duas escolhas (virar a esquerda ou direita), ambos os resultados acontecem, mas o universo se divide, dando origem a dois “universos filhos”. Em cada universo há uma cópia de você, e a história consequente pode ser completamente diferente. [LiveScience]

Comentários
Carregando...