Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

15 segredos obscuros sobre as irmãs Gibbons, as gêmeas silenciosas

Se você já ouviu falar sobre a estranha história das gêmeas idênticas June e Jennifer Gibbons, você sabe exatamente o quão “entrelaçadas” essas irmãs realmente eram. Na verdade, o relacionamento entre elas pode ser considerado o relacionamento gêmeo mais entrelaçado da história. Jennifer tinha ciúmes e ao mesmo tempo ódio por sua irmã, e muitos as viram falando apenas umas com as outras durante a maior parte de suas vidas. A história bizarra que existe entre as duas se tornou bastante infame ao longo dos anos.

Aqui estão 15 fatos sobre elas, antes da morte de Jennifer em 1993. Esse é o relacionamento gêmeo mais místico e sombrio conhecido até hoje.

15. Quando foram separadas, ficaram catatônicas

Quando separaram uma da outra, desligaram-se completamente da vida e tornaram-se catatônicas. A tentativa de encorajar a socialização de ambas falhou. Quando finalmente voltaram a se reunir, as meninas deram um passo além em seu relacionamento uma com a outra, e assim, este caso estranho foi a um nível completamente novo…

14. Dois anos de confinamento (por escolha)

Elas ficaram dois anos isoladas, juntas, em seu quarto, antes de se reunirem com alguma outra pessoa. Elas passavam o tempo brincando com bonecas, e sua mãe lhes entregava suas cartas por baixo da porta. Até mesmo comida recebiam pela mãe. Tinham 17 anos na época. Dizem que as vezes ouviam rir e falar, então, embora pareça uma situação deprimente, para elas, não era.

13. Elas perderam a virgindade com o mesmo garoto…

Perderam a virgindade com uma semana de diferença – com o mesmo garoto. Isso foi depois de terem deixado a escola e se trancarem no quarto por dois anos. O fato ocorreu na época em que elas começaram a beber e fumar muito.

12. Onze anos no Hospital Broadmoor

Depois de se tornarem adolescentes criminosas, June e Jennifer Gibbons cometeram vários crimes. Elas costumavam provocar incêndios, vandalismo e pequenos roubos. Elas foram aceitas e ficaram confinadas no Hospital Broadmoor por 11 anos.

11. “As gêmeas silenciosas”

Elas foram apelidadas como “as gêmeas silenciosas” porque na maior parte do tempo, durante toda a vida, só falaram uma com a outra. De acordo com os médicos e a família, elas demonstravam pouco interesse em falar com qualquer pessoa.

10. Desesperadas por fama

Elas escreviam histórias de ficção, e embora pareça contraditório por causa do estilo de vida que vida que levavam – comunicando-se somente uma com a outra – elas sonhavam em ficarem famosas graças a suas histórias. Elas tinham notebooks e cadernos cheios de histórias e poemas – e até mesmo alguns romances mais desenvolvidos.

9. Ignoradas por causa da cor da pele

Elas eram filhas de pais caribenhos. Nasceram em Barbados e se mudaram para Haverfordwest, no Reino Unido, quando eram bebês. Cresceram em meio a uma comunidade predominantemente branca. Como as únicas duas pessoas negras na escola, foram ignoradas, e pelo fato de falarem apenas entre si, as coisas ficaram ainda piores.

8. Q.I. de gênios

Não muito diferente da maioria dos criminosos e antissociais, June e Jennifer tinham um Q.I. muito elevado. O número exato não foi publicado, mas enquanto estavam confinadas no hospital Breadmoor, fizeram um teste de Q.I. e ambas alcançaram uma pontuação bem acima da média. 

7. Elas alternavam entre a fome e a fartura

Dentro do hospital Breadmoor, ficaram presas no mesmo pavilhão – mas cada uma em uma ponta do mesmo. Da maneira quando as separaram na época de escola, ficaram catatônicas. Os doutores do hospital as descreviam como “profundamente perturbadas”. Curiosamente, uma comia por um ou dois dias enquanto a outra não comia nada, e depois alternavam entre si.

6. Tentaram se matar

Sim, elas tinham um forte relacionamento de amor e ódio. Ao mesmo tempo que se amavam, se odiavam profundamente. A inveja foi o motivo principal de dita rincha: Jennifer era 10 minutos mais nova mas via a June como mais esperta, bonita e engraçada. Uma vez, June tentou estrangular Jennifer com um cabo, e outra vez tentou jogar Jennifer dentro de um rio. Mas no final das contas, elas sempre esqueciam esses “detalhes” e seguiam em frente.

5. Elas tentaram evitar que seus peitos crescessem

Quando tinham 14 anos, apertavam os peitos com um pano para tentar evitar que crescessem. Apesar de doloroso, o faziam. Isso é algo extremamente anormal e potencialmente perigoso para o corpo de uma mulher.

4. Contradições entre si mesmas

Em 1977, aos 14 anos de idade, June e Jennifer Gibbons começaram a ter comportamentos que as levariam a anos e anos de confinamento. Elas foram enviadas e avaliadas no Centro Especial de Educação de Eastgate.

O exemplo mais impressionante do comportamento bizarro de Jennifer e June foi fornecido por uma fita de vídeo feita graças a uma câmera escondida. Pensando que não estavam sendo observadas, as meninas dançavam, riam e conversavam alegremente uma com a outra. As sessões de terapia semanais com o psicólogo foram um fracasso. As meninas se recusavam a falar.

3. O pacto que um gêmeo deveria morrer

Em 1993, quase aos 30 anos de idade, elas decidiram que o único jeito de terem uma vida normal era estando separadas. De acordo com Marjorie Wallace – a mulher que conseguiu fazer amizade com as gêmeas e escreveu um livro sobre elas – os guardas do hospital elas estavam decidindo qual das duas deveria morrer. Quando Marjorie lhes questionou a respeito, Jennifer disse “Marjorie, Marjorie, eu terei que morrer”. Quando ela lhe perguntou por quê, a gêmea respondeu “Porque nós decidimos”.

2. O sacrifício final de Jennifer pela irmã

Depois de 11 anos confinadas em Broadmoor, foram transferidas a outro local mais tranquilo em Bridgend. Mas, durante a viagem, Jennifer encostou no ombro de June, depois em seu colo, e “dormiu de olhos abertos”. Ela morreu mais tarde naquele mesmo dia, e, embora a causa da morte ainda seja tratada como “misteriosa”, a verdadeira causa da morte é conhecida: miocardite aguda, ou inflamação do coração. Exames de sangue mostraram mais tarde uma queda significativa de células vermelhas no momento em que ela foi transferida para outro hospital.

1. June Gibbons vive uma vida “livre e tranquila” agora

Hoje, June Gibbons está vivendo sozinha no País de Gales, perto de seus pais. Ela foi liberada da clínica Caswell um ano após a morte de June. Agora ela fala com outras pessoas, mesmo que seu discurso não seja totalmente claro, problema criado após anos e anos apenas falando com Jennifer. Ela toma remédios controlados e visita o túmulo da irmã todas as terças-feiras. “Eu estou livre finalmente, livre, e por fim, Jennifer renunciou a própria vida por mim”. É assustador a maneira como ela fala e parece não sentir remorso pela morte da irmã. [TheRichest]

Comentários
Carregando...