13 pares de coisas que estão surpreendentemente relacionados umas com as outras

Se colocarmos duas palavras aleatórias do lado da outra, podem não fazer sentido algum, certo?  Bom, isso ocorre devido à falta de um contexto que alinhe as duas, compreensivelmente. No entanto, algumas palavras extremamente opostas podem estar relacionadas através de histórias realmente surpreendentes e são exatamente essas que você poderá conferir a seguir.

Veja só 13 pares de coisas que estão surpreendentemente relacionados umas com as outras:

13 – Arte e armas nucleares

A primeira explosão nuclear fez com que pequenas quantidades de isótopos radioativos, como o césio-137 e o estrôncio-90, cobrissem a terra. Todas as pinturas criadas depois de 1945 contêm essas partículas radioativas: os isótopos contaminaram o solo do mundo, incluindo o óleo de linho e de linhaça, que são usados ​​na produção de tinta moderna. Por isso, é impossível criar uma réplica perfeita de obras famosas do passado (como as de Rembrandt ou Leonardo da Vinci).

12 – Meia-calça e patinação de velocidade no gelo

Uma vez, o atleta soviético Viktor Kosichkin iria participar de um campeonato em Davos, na Suíça. De repente, o clima ficou muito frio e ele pediu a mulheres da Alemanha que lhe dessem algo quente para vestir. Elas só tinham meia calças. Surpreendentemente, ele ficou em segundo lugar. Kosichkin gostou tanto do efeito do item que comprou minhocões e um suéter preto apertado e tentou usá-los enquanto se preparava para as Olimpíadas. Durante os Jogos Olímpicos, ele ficou em primeiro e segundo lugar e essa roupa interessante tornou-se o uniforme oficial de patinação de velocidade no gelo.

11 – CAPTCHA e livros antigos

O CAPTCHA não é apenas um conjunto de letrinhas que protege sites contra spam. Se um site usa um sistema CAPTCHA, resolver esses quebra-cabeças ajuda a sociedade. Como, exatamente? A questão é que ele usa palavras digitalizadas de livros antigos e jornais que computadores não conseguem reconhecer. Apenas um ser humano é capaz de ler essas palavras. O sistema distingue pessoas de falsificações, coleta diferentes variantes de um mesmo símbolo e as insere em livros eletrônicos. Cerca de 200 milhões de CAPTCHAS são resolvidos diariamente, o que faz com que 2,5 milhões de livros sejam digitalizados anualmente!

10 – Ratos, minas terrestres e tuberculose

Ratos gigantes estão entre os trabalhadores mais preciosos da Tanzânia. Graças à sua inteligência e  senso de olfato agudo, esses animais são indispensáveis ​​quando se trata de encontrar minas. Os ratos que completam seu treinamento são chamados de “ratos-heróis” e trabalham em outros países (como o Camboja, por exemplo). Além disso, eles até trabalham na área da saúde, já que seu olfato ajuda a diagnosticar os estágios iniciais da tuberculose.

9 – Telégrafo e tristeza

Samuel Morse foi um grande artista e provavelmente teria dedicado sua vida a arte se não fosse por um triste acontecimento. Durante uma longa viagem, ele recebeu uma carta de seu pai dizendo que sua esposa estava se recuperando de uma doença grave. Então, 3 dias depois, ele recebeu outra carta dizendo que sua esposa havia falecido. Por causa de meios lentos de comunicação, Morse não teve a chance de dizer “adeus” a sua amada. Então, 7 anos depois, ele acidentalmente acabou entrando em uma conversa sobre eletricidade e começou a pensar em inventar uma ferramenta de comunicação conveniente e rápida. Passam-se 12 anos e a primeira “mensagem rápida” foi enviada de Washington a Baltimore, dizendo: “O QUE DEUS TEM TRABALHADO!”

8 – Pombos e o câncer

Cientistas dos EUA conseguiram ensinar pombos a encontrar células malignas usando histologia. Comparando-os com seres humanos, essas aves têm duas vantagens: percepção de cor aprimorada e ausência de imaginação (pássaros não podem imaginar coisas e, portanto, não têm dúvidas ao fazer um diagnóstico). Cada pombo teve o mesmo treinamento. Quando um pássaro “respondia” corretamente, os cientistas o alimentavam. Em um mês, cada “estudante” respondia corretamente 80% do tempo. O nível de precisão do grupo, surpreendentemente, alcançou 99%!

7 – A cor rosa e os meninos

Inicialmente, a cor rosa era considerada “cor de menino” e o azul, “cor de menina”. Essa tendência começou a mudar no século 20 com a ajuda do movimento feminista e o marketing. Quando determinar o sexo de um feto tornou-se possível, anúncios diferentes que fazem com que futuros pais comprem roupas de determinada cor começaram a aparecer.

Além disso, estudos psicológicos dizem que as crianças não têm preferências inatas de cores. O que apenas prova que conectar certas cores com o sexo é apenas uma crença cultural.

6 – Medalhas olímpicas e a arte

Estamos acostumados a pensar que as Olimpíadas se tratam apenas de esportes e a coisa mais “artística” que você verá é a ginástica. Mas em meados do século XX, de 1912 a 1948, houve competições de arte olímpica. Foi ideia do fundador do movimento olímpico, Pierre de Coubertin, que acreditava que o esporte e a arte contribuíam para a saúde mental e física. De qualquer forma, ele achava que as obras de arte deviam estar ligadas ao esporte. Medalhas foram concedidas para obras de arte inspiradas no esporte, divididas em 5 categorias: arquitetura, literatura, música, pintura e escultura.

5 – Impressoras e impressões digitais

A maioria das impressoras a laser tem suas próprias impressões digitais: pontos amarelos. Esses pontos são marcas especiais que criam um padrão exclusivo enquanto a imagem está sendo impressa. Tais medidas visam combater a falsificação. Também houve situações em que esse método ajudou a investigar casos de vazamento de informações.

4 – Sol e espirrar

Segundo dados de cientistas, 1 a cada 4 pessoas no mundo espirra por causa da intensa luz solar. É um traço genético herdado (a chance de herdar é de 50%). A irritação da retina provoca uma súbita série de espirros em qualquer lugar de 1 a 10 vezes e, em seguida, cessa nas próximas 24 horas. Os mesmos reflexos são encontrados em algumas pessoas quando estão de estômago cheio ou quando uma agulha é colocada perto do olho.

3 – Cães e velcro

O velcro foi literalmente criado graças a um cão: depois de voltar para casa de um passeio com seu animal de estimação, Georges de Mestral, um engenheiro suíço, decidiu dar uma olhada mais de perto nas rebarbas que cobriam o pelo de seu cão sob um microscópio. Ele descobriu que as rebarbas farpadas que lembravam ganchos se misturavam com a pele. Georges viu a possibilidade de vincular 2 materiais reversivelmente de maneira igualmente simples. Depois de vários experimentos ao longo de 10 anos, ele patenteou a ideia e abriu uma empresa.

2 – Vikings e publicidade

Eric, o Vermelho foi um viajante e explorador que descobriu a Groenlândia. Ele foi a primeira pessoa que usou o famoso truque de marketing de usar um nome legal para atrair mais pessoas. Ele chamou a terra de “verde” (Greenland), embora o local fosse coberto de gelo. Usando esse truque, ele tentou atrair o maior número possível de colonos. O método realmente funcionou: em um ano, muitas pessoas se mudaram para a Groenlândia com Eric.

1 – Passeios por gravidade e pureza

No final do século 19, o inventor LaMarcus Thompson abriu o maior parque de diversões dos EUA em Coney Island. O principal objetivo desse parque era atrair a atenção de pessoas que só estavam interessadas em atividades “pecaminosas”, como visitar bordéis, a título de exemplo. Ele convidava os hóspedes a desfrutarem de paisagens pitorescas (algo como os Alpes) enquanto andavam em uma pequena carroça. É assim que uma das formas mais populares de adrenalina, como a montanha russa por exemplo, começou.

[Bright Side]

Comentários
Carregando...