Pular para o conteúdo
13 detalhes pouco conhecidos de estátuas e monumentos populares ao redor do mundo

13 detalhes e mistérios pouco conhecidos por trás de algumas estátuas e esculturas icônicas

Existem diversas estátuas e monumentos espalhados pelo mundo, que representam os mais variados sentimentos, momentos históricos ou figuras importantes da nossa história. E algumas dessas obras possuem certas peculiaridades que não são conhecidas pelo público em geral. Por isso, nessa lista, nós vamos mostrar para você uma série de curiosidades sobre as estátuas e monumentos mais famosos do mundo.

Confira:

1. A Estátua da Liberdade, originalmente, não era verde.

O artista por trás da Estátua da Liberdade, Frédéric Auguste Bartholdi, queria que sua obra fosse coberta de ouro, mas acabou utilizando cobre, por conta do orçamento reduzido. Originalmente, a obra tinha a coloração marrom avermelhado, mas com o passar dos anos, e com a oxidação do material, a estátua adquiriu a cor verde que vemos hoje em dia.

2. Os chifres de Moisés, de Michelangelo.

De acordo com alguns especialistas, este detalhe na escultura de Michelangelo pode ser o resultado de um erro na tradução da Bíblia ao latim na frase: “Os filhos de Israel viram, então, que chifres emanavam do rosto de Moisés”. O motivo pode ter sido a palavra “karan”, que significa chifres, e pode ter sido interpretada no lugar da palavra “keren”, que significa algo radiante, luminoso ou com raios de luz.

3. Onde está o outro olho de Nefertiti?

De acordo com especialistas que já analisaram o famoso busto de Nefertiti, não há rastros de cola ou materiais que indiquem que, em algum momento, tenha havido outro olho ali. No começo, suspeitava-se que, talvez, Nefertiti tivesse sofrido com problemas de visão durante a sua vida. No entanto, isso foi descartado depois que outros vestígios foram encontrados mostrando que ela possuía os dois olhos.

4. A identidade desconhecida da Vênus de Milo.

Quando a Vênus de Milo foi encontrada, em 1820, não se sabia se a escultura representava Anfitrite ou Afrodite. Depois de algumas análises, foi determinado que se tratava de Afrodite, devido à sua sensualidade, as jóias que ela portava e também pelo descobrimento dos fragmentos de uma de suas mãos, que segurava uma maçã – característica desta divindade.

5. A Esfinge tinha barba.

O Museu Britânico guarda restos de uma barba que ao que tudo indica era parte original da Esfinge de Gizé.

6. A Coroa do Cristo Redentor.

A enorme figura de Jesus Cristo, no Rio de Janeiro, possui uma coroa metálica em sua cabeça que serve como para-raios. Como se trata de um dos pontos mais altos da cidade, a estrutura é necessária para conter as descargas elétricas.

7. Homenagem a John Lennon.

Quando o artista Carl Fredrik Reuterswärd ficou sabendo do assassinato de John Lennon, ele começou a trabalhar em sua obra ‘Knotted Gun’, também conhecida como “não à violência”. O monumento foi colocado do lado de fora da sede da ONU, nos Estados Unidos, e conta com quase 30 réplicas localizadas em países como Suécia, França, Alemanha, China, Índia, África do Sul e México.

8. Peças de diferentes séculos.

A lenda diz que a Loba Capitolina amamentou Rômulo e Remo, fundadores de Roma. As figuras que compõem esta famosa escultura, localizada no Museu do Capitólio, foram feitas em épocas diferentes. A loba de bronze foi feita durante a Idade Média, enquanto os pequenos irmãos foram colocados ali durante o Renascimento.

9. Guerra de estátuas em Nova Iorque.

Em 1989, Arturo Di Modica colocou o Touro de Wall Street do lado de fora da Bolsa de Nova Iorque. Em 2017, em frente a ele foi colocada a pequena “Garotinha destemida”, que incomodou Di Modica. Segundo o artista, a nova estátua distorcia o sentido original de prosperidade da sua peça, transformando-a em uma figura de medo. Em 2018, a pequena garota foi removida.

10. Segredo muito bem guardado.

Em 1955, um antigo Buda de 4 metros foi deixado ao relento durante a construção de um templo que, no futuro, iria abrigá-lo. Depois de ser atingido por uma forte chuva, a superfície de gelo da estátua se desprendeu, revelando que a escultura era, na verdade, de ouro. Na antiguidade, os monges faziam assim para proteger as peças religiosa da ganância dos invasores. O famoso Buda de Ouro encontra-se em Bangkok, na Tailândia.

11. Beleza incompleta.

Esta famosa escultura, chamada de Vitória de Samotrácia, foi descoberta em 1863, dividida em 110 fragmentos. Mas entre eles, não estavam a cabeça nem os braços. Apesar das buscas constantes, só foi encontrada a palma direita e dois dedos. Alguns artistas tentaram reconstruir o que estava faltando, mas acabaram optando por manter a beleza original da obra, ainda que incompleta.

12. As roupas do Manneken Pis.

Existe uma tradição em torno da escultura do garoto que urina, localizada no centro de Bruxelas, na Bélgica. Desde 1954, a Ordem dos Amigos do Manneken Pis veste a escultura com trajes que remetem à vida na Bélgica. Atualmente, a estátua já foi fotografada com mais de 1000 vestes diferentes.

13. Os “erros” de David, de Michelangelo.

Foram apontadas várias supostas falhas na escultura de Michelangelo, como a desproporção da cabeça e das mãos, que são muito grandes, bem como os olhos que supostamente não olham na mesma direção. Sabe-se, no entanto, que o artista fez isso intencionalmente, para conseguir efeitos visuais e destacar certos aspectos das suas obras.