13 curiosidades impressionantes sobre a vida dos papas

Ele é considerado Santo, mas ao mesmo tempo também é um homem, de modo que propagar a fé da Igreja é seu trabalho. Mas você já se perguntou o que um papa faz exatamente? Descubra a seguir suas atividades, o que fizeram e os poderes do papa nos dias de hoje:

1 – Ele pode até mesmo ser um adolescente

Não há requisitos oficiais de idade para o posto. O papa mais jovem a ser eleito na história do Vaticano foi o Papa João XII, que acreditava-se ter 18 anos de idade quando ele ascendeu ao papado em 955. Mais recentemente, o Papa Clemente X (foto acima) foi o mais velho. Ele tinha quase 80 anos quando se tornou o papa em 1679, servindo por seis anos.

2 – Ele tem que ser multilíngue

O latim é o idioma da Igreja Católica e o papa deve ser fluente para realizar negócios oficiais (as correspondências do dia a dia são conduzidas nas línguas modernas). Como o papa também é bispo de Roma, ele também deve saber italiano.

3 – Ele se confessa

Ele pode ser Santo, mas o papa não está isento de confissão; na verdade, os papas observam o sacramento muito mais frequentemente do que a grande maioria dos católicos. Tanto o Papa João Paulo II quanto o Papa Bento XVI se confessavam ​​semanalmente.

4 – Ele é o chefe de seu próprio país

Além de presidir mais de 1,2 bilhão de católicos em todo o mundo, o papa é chefe da cidade-estado soberana, a Cidade do Vaticano, que tem uma população de cerca de 900 pessoas.

5 – Ele tem seu próprio hospital

O Vaticano tem um Fundo de Assistência à Saúde – os funcionários devem contribuir com 2% de seus salários anuais – seu próprio centro médico e profissionais em tempo integral. De acordo com o plano de saúde do Vaticano, não há pagamentos extras para visitas médicas e a única taxa adicional é de $ 0,75 para prescrições, testes de laboratório, raios-x e ultra-som. Mesmo depois de aposentar, o Papa Bento XVI continua com os benefícios de saúde que ele teve como papa.

6 – Ele não possui posses materiais

Como papa, o pontífice não possui nada, embora tenha custódia da fortuna da Igreja durante seu reinado. Tudo e qualquer coisa que o papa precise ou quer é fornecido para ele.

7 – É quase impossível que um papa moderno seja o pior papa da história

Os papas da Idade Média e do Renascimento deixaram para atrás um legado no mínimo sombrio. O Papa Bento IX (1032-1048), por exemplo, vendeu o papado ao seu padrinho. No entanto, o título do Pior Papa de Todos deve ser do Papa Alexandre VI (1492-1503), que entre muitas práticas questionáveis, estabeleceu novas posições cardeais em troca de dinheiro quando os fundos da Igreja estavam prestes a acabar. Seus abusos do papado são considerados parcialmente responsáveis ​​pela Reforma Protestante.

8 – Ele é uma das cinco pessoas mais poderosas do mundo

Em 2012, o Papa Bento XVI foi o número cinco na lista Forbes das pessoas mais poderosas do mundo, logo atrás de líderes mundiais como o presidente Barack Obama e a chanceler alemã Angela Merkel.

9 – Ele também usa Twitter

Dentro de uma semana da revelação da @Pontifex, a conta oficial do Twitter do Papa Bento XVI chegou a mais de um milhão de seguidores. A conta do papa foi limpa quando o papa renunciou, mas o Vaticano espera que o novo papa continue a utilizar a plataforma de mídia social.

10 – Ele tem problemas de orçamento também

O funcionamento da sede da Igreja Católica é caro e, em 2011, o Vaticano informou um déficit orçamentário recorde de US $ 19 milhões. A despesa mais abundante nos recursos do Vaticano? O alto custo de um amplo esforço de mídia para alcançar fiéis.

11 – E um banco para se preocupar

O Instituto de Obras Religiosas (IOR), também conhecido como Banco do Vaticano, é uma instituição privada da Cidade do Vaticano, responsável pelo financiamento do trabalho da Igreja em todo o mundo. O chefe do banco, nomeado pelo papa, responde a um comitê de cardeais e, em última instância, é responsável perante o próprio papa.

12 – “Não há nada tão morto como um papa morto”

Esse é um velho ditado que tem raízes em uma obscura tradição papal que exigia que a Igreja confirmasse que o papa realmente havia morrido batendo na sua testa com um martelo de prata e exclamando seu nome batismal três vezes. Aparentemente, esta prática é recente, feita na morte do Papa João XXIII (1963), mas foi oficialmente descartada quando o Papa João Paulo II apresentou uma regra que cobrir o rosto com uma toalha seria o novo decreto de morte de um papa.

13 – Ele também é falível

O conceito de infalibilidade papal é amplamente incompreendido. O próprio papa não é infalível (ele é humano, afinal). Ele é apenas infalível ao emitir decretos sobre fé que professa a Igreja Católica, porém dependendo de seu comportamento, caso faça algo errado, suas ações também podem ser julgadas..

[Reader’s Digest]

Comentários
Carregando...