11 tendências de moda do passado que eram extremamente perigosas

Seguir as tendências de moda nunca foi algo extremamente fácil. Mesmo hoje em dia, se você quer estar a par daquilo que é considerado “bonito” e “fashion” pela grade massa e pela mídia, você precisa passar por uma série de sacrifícios.

Entretanto, as coisas não eram nem um pouco mais fáceis no passado.

Nessa lista, você vai conferir 11 tendências de moda do passado que eram totalmente perigosas.

Confira:

1. Pés de lótus

Os “pés de lótus” eram uma tendência de beleza na China durante a Dinastia Song (960 – 1279). Apesar de muito antiga, a prática só foi banida oficialmente em 1912. Durante todo esse tempo as mulheres usavam várias técnicas diferentes para quebrar e “grudar” os ossos uns aos outros, com o intuito de ficarem com pés semelhantes a esses das fotos que você observa logo abaixo.

Esta prática costumava começar entre os 4 e 9 anos de idade, para que na vida adulta a mulher já pudesse ostentar os pés de lótus.

Instagram
© wikimedia commons

2. Anéis de pescoço para as mulheres Kayan, no Myanmar.

As mulheres Kayan, do Myanmar, começam a usar esses anéis quando estão por volta dos cinco anos de idade, e adicionam mais anéis conforme vão ficando mais velhas. Em determinado momento da vida, essas mulheres podem carregar até 11,5kg de anéis no pescoço. Apesar da crença comum, esses anéis não alongam o pescoço. Eles o deformam e empurram a clavícula, dando a ilusão de um pescoço mais longo. Esse costume ainda é seguido hoje em dia.

© wikimedia commons

3. Ohaguro – Japão.

A cor negra sempre foi considerada bonita no Japão, e é por isso que as mulheres costumavam pintar os dentes de preto. As mulheres casadas eram obrigadas a pintar os dentes logo após o casamento. Enchimentos de ferro foram inseridos em uma xícara de chá até que o ferro oxidasse e o chá ficasse preto. Então, algumas especiarias eram adicionadas para cobrir o cheiro forte e as mulheres bebiam isso muitas vezes para manter os dentes negros. Diz-se que esta prática era realmente benéfica para a sua saúde bucal. Este costume durou milhares de anos até que desapareceu no final do século XIX.

Instagram
Instagram

4. Saias hobble

A saia hobble foi uma tendência de moda passageira, que durou de 1908 a 1914. Essas saias tinham uma bainha ligeiramente estreita que diminuía a passada de quem a usava. Por esse motivo, eram comicamente chamadas de “saias de limite de velocidade” por razões óbvias. Como esta tendência começou a desaparecer, muitos designers começaram a oferecer novos designs que permitiram um melhor movimento das pernas.

© wikipedia   © wikimedia commons

5. Crakows

Os sapatos longos estavam na moda em vários períodos da história, mas os Crakows foram especialmente populares durante o século XV, apesar das pesadas críticas de muitas pessoas daquela época. Os dedos eram totalmente recheados, para manter sua forma intacta, mas a falta de conforto resultou em sua proibição em 1465.

© wikipedia   © wikipedia

6. Espartilhos masculinos

Enquanto as mulheres usavam espartilhos desde os anos 1500, os homens começaram utilizá-los por volta do século XVIII. Os espartilhos eram usados ​​principalmente para afinar o corpo, algo que era popular de 1820 a 1840, quando era desejável que os homens tivessem cinturas finas como as mulheres. Em 1880, a forma clássica do espartilho mudou, e se transformou em um tecido rígido que era anexado às calças.

GettyImages

7. Dietas com vermes

Durante o início de 1900, era popular entre as mulheres fazer dietas usando pílulas de tênia. Cada comprimido continha um ovo de tênia, que eclodia, crescia dentro de seus intestinos e ingeria a maior parte da comida que era ingerida. Esta prática ajudou as mulheres a perder peso sem reduzir as calorias. Os perigos dessa dieta eram os bloqueios intestinais e a formação de cistos no fígado, olhos, cérebro e medula espinhal.

© gpia7r / reddit

8. Extensões de cílios

Um artigo publicado em 1899 sugere que muitas mulheres “aprimoravam” sua aparência alongando os cílios. O método para fazer isso era costurá-los: uma agulha era passada com longos cabelos retirados da cabeça e depois costurada nas extremidades da pálpebra, entre a epiderme e a borda inferior da cartilagem. Antes do procedimento, o especialista limparia a parte inferior da pálpebra e a esfregaria com uma solução contendo cocaína.

© PublicDomainPictures / pixabay   © MAKY_OREL / pixabay

9. Banha para estilizar perucas

No final dos anos 1700, as perucas estavam no topo da moda, e as pessoas faziam tudo o que podiam para fazê-las se destacar. Para enrolar as perucas, as pessoas usavam banha de porco e pinças quentes, e depois passavam pó com chumbo. O cabelo costumava ficar muito tempo sem ser lavado, tornando-se uma zona amigável para piolhos e vermes. Muitas mulheres costumavam usar gaiolas ao redor da cabeça durante a noite para manter os ratos longe de suas cabeças.

© wikimedia commons   © wikimedia commons

10. Crinolinas inflamáveis

© wikipedia

A crinolina começou a ser usada em 1850 e tornou-se popular muito rapidamente. Ela era usada ​​por mulheres de todos os status sociais, apesar de causar muitas mortes devido ao fato de serem inflamáveis. O aço esfregava nas saias que as mulheres usavam sobre a crinolina e isso criava uma faísca que podia causar um incêndio. Era tão difícil tirar o acessório que as mulheres por vezes acabavam queimadas vivas.

11. Lysol para controle de natalidade

© MyRashSmellsLikeBacon / imgur   © MyRashSmellsLikeBacon / imgur

Lysol é um produto de limpeza que as mulheres costumavam usar para limpar suas cozinhas e banheiros, mas por alguns anos ele também era utilizado para controle de natalidade e higiene feminina. Os métodos usuais de controle de natalidade eram muito caros naquela época e as mulheres tinham que encontrar sua própria solução para o problema. Muitas mulheres relataram inflamações, queimação e algumas até morreram por usar o produto desta forma. Apesar disso, a empresa ainda anunciava que seu uso era seguro.

via BrightSide.

Comentários
Carregando...