10 tesouros perdidos que poderiam te deixar milionário

Versão em vídeo:

Versão em texto:

Ao longo da história, milhares de pessoas acumularam tesouros inestimáveis, quantias substanciais de dinheiro, ouro, diamantes e preciosidades. Muitas destas riquezas foram totalmente investidas em grandes negócios e fortunas que resistem até os dias de hoje. Outras, porém, se perderam com o passar do tempo.

Nessa lista, você vai conhecer 10 tesouros que poderiam lhe transformar em um milionário imediatamente caso você consiga fazer o que ninguém até hoje conseguiu: encontrá-los.

Confira:

1. Tesouro de Thomas Cavendish

Thomas Cavendish | Wikicommons

Durante o auge das navegações, em meados de 1580, o navegador inglês Thomas Cavendish saqueou diversas regiões, inclusive atacando outras embarcações, como o galeão Santa Ana, que viajava da Ásia para o México levando especiariais. Ao longo do tempo, Cavendish acumulou uma série de riquezas, como valiosos tesouros incas e astecas. Todos esses objetos foram escondidos pelo próprio explorador em algum lugar até então desconhecido, mas que provavelmente fica nos arredores de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Isso porque a região é conhecida por abrigar uma grande quantidade de destroços e naufrágios dos últimos 400 anos.

A praia do Saco Sombrio, localizada em Ilhabela, era uma das praias favoritas dos antigos navegadores para esconder seus tesouros, principalmente pela dificuldade de acessar o local por terra, mas também por outros fatores, como o fato da praia ser rodeada por praias e possuir uma rota fácil para o Oceano Atlântico. Vários moradores da região, bem como engenheiros e representantes de várias grande empresas já tentaram desenterrar tesouros na região. A Marinha Brasileira chegou a tentar ajudar o engenheiro belga Paul Ferdinand em 1939, mas depois de mais de 30 anos de buscas, nada foi encontrado.

A lenda, entretanto, permanece lá até hoje.

2. Os Tesouros do Barbanegra

Barbanegra | Wikicommons

Edward Teach, que viveu entre 1680 e 1718, ficou mais conhecido pela alcunha de ‘Barba Negra’. Este pirata especializado em saques e ataques a embarcações de origem espanhola, foi o mais temido de sua época, e é praticamente impossível estimar o tamanho do tesouro que ele acumulou até sua morte.

Armado até os dentes com canhões poderosos montados em seu navio ‘Queen Anne’s Revenge’, Barba Negra era capaz de saquear qualquer navio que quisesse, e durante muitos anos foi exatamente isso que ele fez. Ninguém sabe, entretanto, onde foi parar todo o seu ouro.

Especialistas acreditam, porém, que pelo menos uma parte do tesouro de Barba Negra pode estar entre o litoral do Caribe e a costa dos Estados Unidos da América. Isso porque um dos navios atacados por ele foi encontrado afundado na Carolina do Norte, enquanto outro apareceu nas águas das Bahamas.

3. O Filme Esquecido de Hitchcock

Alfred Hitchcock | Wikicommons

O lendário diretor cinematográfico Alfred Hitchcock, conhecido internacionalmente por diversos títulos de sucesso, como ‘Psicose’, de 1960, foi um dos maiores nome do cinema.

Apesar de ter feito sucesso gigantesco na década de 60 e 70, ele desde muito mais cedo já trabalhava na indústria cinematográfica. Em meados de 1923, Hitchcock lançou um filme intitulado “The White Shadow”, que chegou a ser distribuído para o mundo, mas nem de longe alcançou o sucesso de suas obras posteriores.

O rolo original do filme, no entanto, está perdido até hoje. Por se tratar de um material bastante inflamável, muitos produtores da época descartavam os rolos após o final das turnês.

Mas o que reacendeu a busca pelo filme original de Hitchcock foi a descoberta, em 2011, de uma cópia parcial do filme, que possuía apenas a primeira metade da obra. O rolo estava em posse de um antigo projetista que tinha o hábito de armazenar grandes quantidades de rolos de todos os filmes que ele havia exibido em sua vida.

A cópia original deste filme pode valer uma bolada, ultrapassando facilmente os 500 mil dólares.

4. O Homem de Pequim

WikiCommons

Este tesouro arqueológico consiste na ossada de um hominídeo que de acordo com os especialistas pode ter vivido entre 400 mil e 800 mil anos atrás. O material, encontrado entre o fim dos anos 20 e início dos 30, na China, era de grande relevância histórica e científica. Por isso, em setembro de 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, os chineses decidiram enviar o material para os Estados Unidos, na esperança de que lá ele estivesse mais seguro.

Mas o pacote que carregava a ossada acabou por ser extraviado em algum lugar durante a viagem, e nunca mais foi avistado. Alguns sugerem que os ossos provavelmente foram moídos e vendidos como um tipo de “pó mágico”, comum na cultura chinesa. Tudo, no entanto, não passa de um boato que obviamente não tem como ser confirmado.

Se alguém, um dia, aparecer com a ossada, com certeza poderá ganhar uma verdadeira bolada.

5. Fóssil de Archaeopteryx

WikiCommons

O Archaeopteryx é a criatura que os cientistas afirmam que prova a descendência das aves em relação aos dinossauros. Em meados de 1956, a ciência já havia confirmado dois fósseis do antigo animal, um deles parcial, e outro quase totalmente completo.

Há quase 50 anos, em 1974, Eduard Opitsch apareceu como o dono do fóssil mais completo da espécie, e recebeu uma oferta para vender o material: 10 mil dólares. A quantia, para a época, era generosa, mas o homem se recusou a vender o fóssil. Provavelmente com medo que alguém o roubasse, Opitsch retirou os ossos do Museu de Maxbeg, na Alemanha, onde ele estava, e simplesmente sumiu com eles. Falecido em 1991, ele não deixou nenhuma dica de onde está o fóssil.

6. O ouro de Rommel

Erwin Rommel | Wikicommons

A Alemanha Nazista espalhou o terror pela Europa e pelo mundo inteiro durante a Segunda Guerra Mundial, e não são poucas as histórias terríveis que eles protagonizaram nesta época.

Em meados de 1943, durante a ocupação nazista da Tunísia, registros históricos apontam que os alemães roubaram uma grande quantidade de ouro dos judeus que viviam na ilha de Djerba. A maior parte das fontes indica que o tesouro teria sido enviado para a Alemanha em um navio, que acabou por naufragar enquanto passava por Córsega, na França.

O tesouro acabou por receber o nome de ‘Ouro de Rommel’, referindo-se a Erwin Rommel, um dos nazistas mais temidos, envolvido em várias histórias aterrorizantes da época. Entretanto, não há nenhuma comprovação de que Rommel de fato participou deste saque em específico, cujo espólio seque perdido até os dias de hoje.

7. S.S. Minden

Shutterstock

O navio nazista S.S. Minden foi afundado pelos próprios alemães durante uma viagem do Rio de Janeiro até a Alemanha, supostamente para evitar que os ingleses colocassem as mãos em algum tipo de tesouro escondido no convés do navio. De acordo com lendas da época, o tesouro em questão era uma quantia gigantesca de ouro roubado de outros países.

Uma companhia especializada do Reino Unido tentou encontrar o tesouro entre 2017 e 2018, mas depois de um ano de tentativas frustradas, os planos foram deixados para trás.

8. Diamante Florentino

Réplica do Diamante Florentino | WikiCommons

Este diamante foi encontrado na Índia, e depois de ser cuidadosamente manejado e cortado por um profissional especialista, se transformou em uma magnífica peça de 137.27 quilates, com 126 facetas. De acordo com especialistas em jóias, esta peça tranquilamente poderia valer milhões de dólares, mas atualmente ninguém sabe onde ele está.

A jóia pertenceu à Família Real da Áustria, que acabou perdendo a peça no final da Primeira Guerra Mundial, quando todos os membros da realeza austríaca fugiram para a Suíça.

Seja lá quem tem em mãos este diamante hoje em dia, se é que ele não foi destruído, tem consigo um objeto de extremo valor.

9. Menorá

WikiCommons

O Menorá é um candelabro formado por sete braços, considerado um dos maiores símbolos da religião judaica. O objeto original este no Tabernáculo, e posteriormente passou também pelo Primeiro e Segundo Templo, de acordo com passagens históricas e bíblicas. Entretanto, o objeto sagrado fora roubado de Jerusalém durante a invasão romana, na ocasião em que o templo foi destruído pelos romanos.

Tamanha a importância da sua simbologia, o Menorá hoje é considerado um dos símbolos do Estado de Israel, junto com a famosa Estrela de Davi.

Ninguém sabe, no entanto, onde este valioso artefato repousa nos dias de hoje. Se alguém, no entanto, estiver em posse dele, tem em mãos um dos tesouros mais valiosos da história.

10. A Sala de Âmbar

WikiCommons

A Sala de Âmbar foi um amplo espaço projetado pelo primeiro rei da Prússia, Friedrich I, que foi dado como um presente para o czar russo Pedro, o Grande. Revestida com centenas de milhares de peças extremamente valiosas, o “quarto de âmbar”, como também é conhecido, foi uma das maravilhas do mundo, localizada bem no coração da Rússia, até a Segunda Guerra Mundial.

O local onde repousava a Sala de Âmbar foi tomada pelos nazistas após o início da Guerra, e ninguém sabe ao certo o que aconteceu com ela depois disso. Alguns defendem que todo o tesouro fora levado para o Castelo de Königsberg, na Alemanha, mas mesmo após a tomada do castelo pelas forças aliadas em 1944, nada foi encontrado.

Por isso, alguns historiadores acreditam que, na verdade, este grande tesouro, que já foi considerado uma das maravilhas do mundo, se perdeu para todo o sempre.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.