10 sinais que podem indicar que você está em um relacionamento abusivo

A busca por um companheiro ideal faz parte da vida de muitas pessoas. Mesmo que digam não se importar com a vida a dois, viver na solidão ou “curtir a vida” com várias pessoas diferentes funciona por um tempo, mas ocasionalmente acaba fazendo falta a presença constante de alguém de confiança ao nosso lado. No entanto, nem sempre as histórias de amor são como nos filmes de romance, infelizmente.

Muitos relacionamentos, apesar de começarem bem, como em um conto de fadas, acabam por se transformar em verdadeiros pesadelos. Estamos falando dos relacionamentos abusivos.

Nesta lista, você vai conhecer alguns sinais que podem indicar que você está em relacionamento abusivo, mesmo que ainda não tenha se dado conta completamente.

Confira:

1. Ciúme.

Shutterstock

Um dos fatores que se fazem presentes em praticamente todos os relacionamentos abusivos é o ciúme. É extremamente complicado falar em “excesso” quando abordamos este tema, pois teoricamente, em um relacionamento realmente saudável, não há espaço para a desconfiança e o ciúme. No entanto, todos sabemos que para alguns casais, em alguma medida, a insegurança não gera tantos problemas assim.

No entanto, você deve prestar atenção em comportamentos que indiquem a falta de confiança do seu parceiro está saindo do controle. Definitivamente não é natural que um parceiro queira controlar as ações do outro, decidir que tipo de roupas deve vestir, quais lugares deve frequentar ou quem deve ou não interagir. Atitudes de controle como essas indicam que algo realmente não vai bem com a personalidade de quem você está se relacionando, e pode ser a hora de ter uma boa conversa e, caso não tenha solução, ir embora e evitar problemas ainda maiores.

2. “Brincadeiras” tóxicas, que ferem a sua auto-estima.

Pixabay

Um casal, essencialmente, deve sempre se dedicar a apoiar um ao outro em todos os sentidos da vida. Não é nada agradável, portanto, que seu parceiro se dirija a você com “brincadeiras” ofensivas, que afetem sua autoconfiança e auto-estima. Muitas pessoas tendem a ridicularizar os demais, incluindo parceiros amorosos, com o intuito de sentirem-se “no comando”, ou por cima na situação. A médio e longo prazo, no entanto, estes comportamentos podem lhe ferir de tal forma que se torne quase impraticável o convívio a dois.

3. Incapacidade de ser você mesmo.

Nós, como seres humanos, temos peculiaridades e particularidades diversas. No entanto, algumas pessoas simplesmente não conseguem respeitar cada um com suas diferenças, e tendem a tentar “controlar” até mesmo a personalidade de quem amam. Em um relacionamento abusivo, o indivíduo “ativo” nesta relação de abuso normalmente demonstra comportamentos que indicam uma tentativa de controlar a forma como o outro pensa, age e vive a própria vida.

4. Ausência de diálogos e críticas construtivas.

É extremamente comum que um casal passe pelas famosas discussões de relacionamento, as “DR’s”. É claro, sempre mantendo o respeito e tendo como objetivo um convívio melhor e mais proveitoso. Pessoas tóxicas e abusivas, entretanto, possuem o hábito de “fechar” as portas para o diálogo, normalmente se estressando facilmente ao ouvirem uma crítica, ou ridicularizando as tentativas de discussões que visem alguma melhoria no relacionamento.

5. Sensação de que você não queria estar ao lado do seu companheiro.

Naturalmente, estar ao lado de quem amamos é algo prazeroso, divertido e confortável, mas quando estamos em um relacionamento abusivo, a realidade é bem diferente. Pessoas que vivem em uma relação deste tipo costumam ter a sensação de que definitivamente não queriam mais estar ao lado da outra pessoa, mas não conseguem se afastar por inúmeros motivos – seja por medo, falta de suporte ou outra razão.

6. Críticas constantes e sem fundamentos.

Shutterstock

Além das “brincadeiras” tóxicas, do ciúme e do controle, pessoas abusivas tendem também a reclamar de absolutamente qualquer atitude de seus companheiros, mesmo que não tenham fundamento algum para tanto. Não há nada de errado em apresentar para o seu par críticas construtivas, que busquem melhorias dentro do relacionamento, mas criticá-lo por tudo e desmerecer tudo o que ele faz definitivamente não é certo, muito menos saudável para a vida a dois.

7. Insatisfação com o crescimento pessoal do parceiro.

Em um relacionamento saudável, espera-se que ambos indivíduos se orgulhem e incentivem o crescimento profissional e pessoal um do outro. Algumas pessoas, infelizmente, não conseguem ver o outro crescer, como se a ascensão do parceiro a um outro patamar significasse que ele está “ficando para trás”, ou “perdendo o controle do relacionamento”. Estes “sintomas” podem aparecer, por exemplo, em um relacionamento onde de uma hora para outra um dos indivíduos passa a ganhar um salário maior, atinge um novo patamar na sua carreira ou qualquer outra coisa dentro desta lógica.

Mantenha a distância de pessoas que encarem o seu crescimento como algo negativo.

8. Você simplesmente não é mais feliz com a sua vida amorosa.

Naturalmente, a vida em um relacionamento abusivo desgasta o polo passivo da relação, que passa a sentir-se desapontado e insatisfeito. Os relacionamentos a dois têm como objetivo a felicidade mútua, por isso não fique onde você não é feliz!

9. Ameaças.

Shutterstock

Um dos sinais mais graves de um relacionamento abusivo que já começa a chegar em um nível alarmante são as ameaças. O abusador, seja por ciúme, controle ou falta de confiança passa a fazer ameaças à sua integridade física, emocional e até mesmo patrimonial, em uma clara demonstração de agressividade, insegurança e violência.

Neste ponto, raramente há muito o que fazer para salvar o relacionamento, e o melhor que você pode fazer é contar sobre o que está acontecendo para alguém de confiança e afastar-se de seu companheiro, sempre tomando as medidas de segurança cabíveis.

10. Agressões.

Pixabay

Esta é a pior e mais grave faceta de um relacionamento abusivo. Infelizmente, a violência doméstica contra a mulher é um problema que afeta milhares de pessoas em todo o Brasil, mesmo com o avanço de leis e programas que buscam oferecer condições de proteção e segurança para as vítimas desta violência.

Se você se encontrar em uma relação desta natureza, busque ajuda com alguém de confiança ou procure a polícia para contar o que está acontecendo.

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.