10 recursos inesperados que estão se esgotando em nosso planeta

Nos anos 1900 estimava-se que havia apenas 1,6 bilhão de pessoas na Terra. Na década de 1950, duplicamos esse número e, na década de 2000, conseguimos atingir os seis bilhões.

Um estudo na revista Global Environmental Change projeta que a população global atingirá o pico em 9,4 bilhões até o final deste século. Basicamente, isso é uma má notícia, já que atualmente não temos recursos suficientes para a nossa população agora, com os meios de vida consumista que levamos. Já uma boa notícia é que, com a simples medida de educar e dar acesso aos meios contraceptivos às mulheres de países menos desenvolvidos, a média de filhos por casal caiu de 6.3 para 1.9 em apenas duas gerações e podemos torcer para que tudo mude até o meio do século.

Entretanto, existem 10 recursos inesperados que estão se esgotando em nosso planeta, que são algo que definitivamente devemos nos preocupar. Veja só:

10. Areia

Embora pareça sem sentido, essa escassez é real. A areia está ao nosso redor diariamente porque é um componente crucial para produzir concreto, vidro e asfalto. Areia não está apenas no deserto: está em nossas rodovias, arranha-céus e até mesmo em nossa pasta de dente.

Areia e cascalho juntos são conhecidos como “agregados” e representam 85 por cento de toda a mineração que ocorre na Terra, atualmente excedendo a sua taxa de renovação a um ritmo preocupante. A China sozinha usou mais areia nos últimos quatro anos do que os Estados Unidos na totalidade do século XX. E a Índia tem sua própria máfia de areia.

Dubai, uma cidade cercada por areia, teve que importar as coisas da Austrália para construir o Burj Khalifa.

9. Tratamentos eficazes contra a gonorreia

Os primeiros antibióticos para combater essa DST tornaram-se disponíveis na década de 1940 mas, como a maioria das bactérias, a gonorreia tem uma forma peculiar de mudar e se fortalecer.

 Em apenas 70 anos, os antibióticos tornaram-se quase inúteis na luta contra o problema, com apenas um tipo de antibiótico capaz de tratá-la efetivamente.

O primeiro caso de gonorreia resistente aos medicamentos foi encontrado no Japão em 2011, e os cientistas estão preocupados já que agora, mais do que nunca, devemos ter cautela sobre as formas de contraí-la. Estima-se que 50% das mulheres que possuem a doença de fato não sabem que são portadoras.

Portanto, cuide-se!

8. Hélio

Já se perguntou por que os balões de hélio são tão caros? A resposta é simples: extrair este gás é caro e as maiores reservas do gás natural estão nos EUA.

Mesmo sendo o segundo gás mais abundante do universo, a atmosfera da Terra não é capaz de contê-lo. O hélio não é um recurso renovável, sendo que é usado para detectar vazamentos em dutos, limpar tanques de foguetes da NASA, para refrigeração de reatores nucleares e resfriar ímãs supercondutores em máquinas de ressonância magnética.

7. Drogas para injeções letais

Em 2016, o gigante farmacêutico Pfizer juntou-se às fileiras de outras 20 empresas farmacêuticas americanas e europeias e impediu os Estados Unidos de usarem suas drogas para execuções através de injeções letais.

Os Estados que permitem a pena de morte estão agora em dificuldade para aplicar as sentenças pela escassez de matéria prima para produzir as injeções.

6. Terra fértil

De acordo com um cálculo feito por pesquisadores da ONU, temos apenas uma pequena parcela de solo fértil para agricultura, devido à erosão causada por produtos químicos, desmatamento e pela agropecuária, que são as causas do aquecimento global.

“Perdemos 30 campos de futebol de solo a cada minuto, em sua maioria para agricultura intensiva”, alerta o ativista Volkert Engelsman.

5. Espermatozoides

Um estudo que analisou a concentração de espermatozoide na população dos EUA, Europa, Austrália e Nova Zelândia, observou que houve uma queda de 52% nessa concentração entre os anos de 1973 e 2011.

Essa queda representa maiores implicações na saúde das pessoas, muito mais do que na saúde reprodutiva, uma vez que os espermatozoides fracos produzem indivíduos com novas doenças.

As causas disso estão associadas ao meio de vida moderno, com alimentos industriais ricos em hormônios e também ao estresse.

4. Peixes

Certamente, esse é um dos casos mais terríveis desta lista: estima-se que se continuarmos a pescar à taxa que estamos agora, estaremos no caminho certo para esvaziar o oceano. Novas regras que procuram reduzir a pesca entraram em vigor, porém a situação é pior do que parece porque as grandes empresas de pesca não declaram toda a quantidade de peixes capturados por ano.

Dados estimam que 92% da pesca não seja declarada por barcos de pesca chineses, e 40% da pesca global seja mantida em segredo.

A falta de peixes provoca um grande desequilíbrio na cadeia alimentar e no ciclo reprodutivo dos animais dos oceanos, cujas consequências já começam a se tornar evidentes.

3. Espaço para armazenamento de dados

Infelizmente, esse problema é um pouco mais complicado do que apenas precisar apagar algumas fotos em seu celular para obter mais espaço. Os dados nunca foram mais importantes do que são agora e eles estão rapidamente se tornando um ativo vital para empresas de todo o mundo. Em 2020, estima-se que teremos 26 bilhões de dispositivos conectados em uso e isso não inclui os mais de sete bilhões de smartphones, PCs e tablets que teremos.

 Os atuais bilhões de discos rígidos baseados em silício em todo o mundo dificilmente podem continuar existindo, mas existem outras soluções em andamento: em 2013, uma equipe de cientistas do Instituto Europeu de Bioinformática conseguiu armazenar uma coleção completa de sonetos de Shakespeare, um PDF do primeiro artigo para descrever a estrutura de dupla hélice do DNA, um clipe de MP3 de 26 segundos do discurso de Luther King “I have a dream”, um arquivo de texto de um algoritmo de compressão e uma foto JPEG – tudo isso em um fio de DNA. Se pudermos apresentar uma alternativa tão incrível como essa, estaremos mais do que bem!

2. Ouro

A indústria de mineração pode estar crescendo quando se trata de buscar por areia, mas outra substância permanece mais difícil a cada vez: o ouro. Os mineradores de ouro tiveram um número limitado de novas descobertas na última década. Muitas empresas de mineração também tiveram que lidar com o aumento de cancelamento de escavações devido o risco excessivo do produto desaparecer.

O gasto em ouro diminuiu de US$ 10 bilhões em 2012 para apenas US$ 4 bilhões em 2016. Espera-se que a oferta caia 15 a 20% nos próximos três a quatro anos.

A boa notícia é que o ouro abunda sob nós, porém precisamos apenas procurar uma solução para extraí-lo. O asteroide conhecido como 2011 UW 158 passou pela Terra em 2015 e a rocha tem mais de 500 metros de comprimento e parece conter entre US$ 300 bilhões e US$ 5 trilhões em metais preciosos. Infelizmente, o asteroide está atualmente seis vezes mais longe do que a Lua.

Isso não desmotivou os cientistas, no entanto. A Planetary Resources, uma empresa de astronáutica em Washington, realizou uma expedição de três meses para testar sua tecnologia para prospecção extraterrestre. A espaçonave Rosetta da Agência Espacial Europeia também conseguiu pousar em um cometa em 2014, provando que poderíamos ter uma corrida pelo ouro muito interessante no espaço ao alcance dos seres humanos em breve.

1. Enfermeiros

Muitos fatores são inclusos neste déficit de enfermeiros no mundo inteiro. Primeiro, o número de idosos está aumentando drasticamente. De 2010 a 2030, o número de idosos apenas nos EUA aumentará em 75%, para 69 milhões. Isso significa que uma em cada cinco pessoas será um idoso em um futuro próximo. Esse é um número esmagador, dada a diminuição da quantidade de enfermeiros nos EUA, porque 80 por cento dos adultos mais velhos têm pelo menos uma condição crônica e 68 por cento têm duas, país em que há um investimento maior na área da saúde. Agora, com a falta de investimentos em saúde, você já imaginou esses dados aqui no Brasil?

Mas afinal, por que estamos vendo uma diminuição nos enfermeiros? Bem, em 2012, as escolas de enfermagem tiveram que afastar 79.659 candidatos qualificados de programas de bacharelado e pós-graduação devido os número insuficiente de professores e espaços para procedimentos clínicos, sem mencionar restrições orçamentárias. Isso, combinado com o fato de que a força de trabalho de enfermagem atual está envelhecendo e se aposentando aos poucos, significa que enfrentaremos um grande déficit em cuidados de saúde no mundo todo. [Listverse]

Comentários
Carregando...