fbpx

10 mitos sobre a Idade Média que as pessoas precisam parar de acreditar

Na hora de escolher um filme para assistir ou um novo livro para comprar, muitas pessoas vão direto para a seção de obras “medievais”. Não é a toa que Game of Thrones e Vikings, duas séries que se passam em período medieval, são um grande sucesso.

Mas será que tudo era mesmo como os filmes nos contam?

1. Álcool x Água

Shutterstock

Uma das “lendas” mais comuns e erroneamente espalhadas por aí é a que diz que as pessoas bebiam muito mais álcool do que água “pura” no período medieval, por conta do medo de contrair doenças. É bem verdade que a água da época normalmente não era limpa, e realmente podia causar algumas complicações, mas também é um fato que a maioria dos castelos contavam com fontes, poços e outros recursos que permitiam o acesso das pessoas à água. E na grande maioria das vezes ela era consumida sem que houvesse tanta preocupação assim com a sua qualidade e higiene.

A questão do álcool vai muito além de uma preocupação com a saúde. Na grande maioria dos países, durante a Era Medieval, a água era vista como uma bebida “para os pobres e doentes”, e por isso os mais abastados preferiam outros tipos de bebidas… Como as alcoólicas. Elas eram, entretanto, muito diferentes das que conhecemos hoje em dia, e muitas vezes serviam quase como uma importante refeição depois de um longo dia de trabalho.

2. Comportamento na mesa

Shutterstock

Outra ideia equivocada que as pessoas costumam ter da Era Medieval é a de que as pessoas eram totalmente má educadas na mesa, atirando alimentos de um lado para outro, comendo da forma que bem entendessem, entre outros comportamentos “grotescos”. No entanto, mesmo no passado, as pessoas mais civilizadas prezavam pelo comportamento na mesa. Além disso, não eram poucas as ocasiões, como encontros importantes em castelos, em que a “etiqueta” era extremamente cobrada dos visitantes.

3. “Eles não tomavam banho”.

ancient.eu

É verdade que as pessoas da Era Medieval não se importavam tanto com a higiene como nos importamos hoje em dia. Mas isso não significa que eles não tomassem banho nunca. A grande questão é que aqueles que não tomavam tantos banhos não necessariamente não o faziam por vontade, mas talvez por falta de oportunidade. Nem todos tinham casas de banho em suas residências, e convenhamos que carregar baldes e baldes de água “apenas” para se lavar seria bastante cansativo, não é mesmo?

4. “As pessoas jogavam toda a sujeira nas ruas”.

Ancient Origins

Obviamente, quando falamos da Era Medieval, estamos falando de um período da história onde os banheiros modernos, com descargas e sistemas de esgoto bem organizados ainda estavam longe de existir. Por isso, no começo de muitas cidades, as pessoas realmente jogavam fezes e outros rejeitos na rua, o que provocava uma sujeira e tanto.

Não demorou até que a maior parte das cidades adotasse regras que obrigassem os moradores a dar um destino mais adequado à própria sujeira. Para tanto, muitas pessoas carregavam as fezes até um lago mais próximo, ou recorriam a banheiros públicos, que raramente davam conta de acomodar toda a demanda.

5. Nem todos os servos vinham de classes “inferiores”.

Shutterstock

É comum acreditar que as pessoas que trabalhavam como servos na casa de membros da nobreza eram provenientes de camadas inferiores da organização social da época. No entanto, isso não era verdade em 100% do tempo. Muitas vezes, um senhor de terras podia enviar seu filho para trabalhar nas propriedades de um outro senhor. Não havia pagamento para esse tipo de serviço, mas a prática era vista como uma boa forma de demonstrar aliança, e estes servos costumavam ser tratados como filhos.

6. O sono era tratado de forma diferente.

medievalists.net

Nos tempos modernos, a maioria das pessoas do mundo inteiro dormem durante a noite toda, acordando após o nascer do sol (ou pouco antes dele, para os que precisam acordar mais cedo), salvo é claro as exceções em que pessoas precisam trabalhar ou desempenhar outra atividade durante a noite.

No entanto, na Era Medieval, o sono era normalmente dividido em duas etapas. As pessoas costumavam acordar por volta das 00h-02h e passar algumas horas acordado, antes de voltar a dormir. Esse período era normalmente utilizado para rezar, realizar algum tipo de reflexão, escrever, pintar e etc. Até hoje, em alguns monastérios, os monges costumam acordar às 02h para fazer suas orações.

7. As pessoas não eram totalmente bárbaras e agressivas.

Shutterstock

Com o passar das gerações e das eras, ficou perpetuada a ideia de que a Idade Média foi um período de total descontrole, em que as pessoas eram lunáticas, agressivas e bárbaras. No entanto, isso não é de todo verdade, e basta pensar em todos os filósofos, navegadores, cientistas e pensadores que nasceram em época medieval, e que cravaram seus nomes na história.

8. As pessoas já se organizavam em leis.

historicalhearts.blogspot.com

É claro que o “Estado” e as leis não tinham tanta força na Era Medieval como têm hoje em dia. Mesmo assim, as pessoas precisavam seguir uma série de regras para conviverem pacificamente. O que muda é que, naquela época, se uma regra não fosse totalmente aceita e compactuada pela sociedade à qual se aplicava, ela simplesmente era impraticável.

Isso porque muitas vezes quem aplicava a lei era a própria sociedade, com “guardas” e vigilantes voluntários, que andavam pelas ruas durante a noite em busca de malfeitores.

Também existiam regras específicas para quem quisesse vender alguns tipos de produtos, e existem registros que mostram que a cobrança de impostos, em alguns casos, era bastante abusiva já na época medieval.

9. As mulheres desempenhavam muitas funções tidas como “masculinas”.

Shutterstock

É bem verdade que as mulheres sofriam no passado (como ainda sofrem, muitas vezes) com o machismo, perseguição e desigualdade de tratamento em vários aspectos da vida. No entanto, era bastante comum na Idade Média, ao contrário do que muitos podem pensar, que a mulher exercesse funções de ferreiro, fabricante de armaduras, e outras popularmente consideradas como atividades “masculinas”.

Em muitas culturas, como a dos escandinavos, por exemplo, as mulheres também eram muito respeitadas pela bravura no campo de batalha.

A história de que “a mulher deve ficar com as tarefas de casa” simplesmente não caía muito bem naquela época. Infelizmente, é claro, o machismo e as desigualdades se apresentavam de outras formas: o estupro não era encarado com a devida atenção; em muitas sociedades as mulheres eram afastadas de certos ambientes, havia perseguição religiosa, moral, entre outras formas de violência direcionada às mulheres.

10. Nem tudo é tão charmoso como os filmes mostram!

Shutterstock

Na tela dos cinemas, tudo parece muito mais bonito do que realmente deve ter sido. Cavaleiros belíssimos, com cabelos lisos, pele limpa e olhares sedutores, bem como as donzelas com cabelos perfeitamente arrumados fazem parte apenas do imaginário dos filmes. Na “vida real”, você bem pode imaginar como deveria ser a figura de um cavaleiro – horas e horas (ou dias) dentro de uma armadura, sem poder ir ao banheiro, sem tomar banho, suando, correndo, sujando-se. Não é uma ideia muito agradável…

Como as cidades não tinham sistemas adequados de esgoto, muito menos serviços de limpeza, você também pode imaginar como eram as ruas das cidades.

Melhor ficar com a ilusão das telinhas, não é mesmo?

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.