10 mentiras que as pessoas sempre contam sobre a Era Medieval

A Idade Média é um período da nossa história que até hoje encanta e provoca a curiosidade de muitas pessoas. No entanto, ainda existe muita desinformação sobre como de fato eram as coisas naquela época, e como as pessoas viviam.

Nessa lista, você vai conferir alguns mitos que normalmente são espalhados sobre a Idade Média.

1. As pessoas da Idade Média não tomavam banho?

WikiCommons

É popularmente dito que as pessoas da Era Medieval não gostavam muito de tomar banho e não mantinham hábitos agradáveis de higiene. Isso não é bem verdade, ainda que realmente a Idade Média não sirva de exemplo para ninguém no que diz respeito a condições sanitárias adequadas e hábitos louváveis de limpeza.

Na verdade, uma grande parte das pessoas da época utilizava uma vasilha de água quente para manter o corpo limpo diariamente. O problema é que aquecer a água de uma banheira inteira na época era bastante complicado, o que fazia com que o processo de banhar-se não fosse o mais confortável.

As camadas mais elevadas da sociedade, especialmente no Império Romano, costumavam se reunir em “banheiras” públicas, onde muitas vezes eram realizadas festas regadas a comida e vinho.

2. Vikings e os capacetes com chifres.

Shutterstock

Apesar de serem retratados pela literatura e pelo cinema como guerreiros que equipavam capacetes com longos chifres, ao que tudo indica isso não passa de uma lenda. A verdade é que esse tipo de capacete seria muito pouco prático para as batalhas (comuns na cultura viking), e mais atrapalhariam do que ajudariam.

Entretanto, há indícios de que os capacetes com chifres eram utilizados para fins religiosos e cerimoniais, o que pode explicar a origem da lenda.

3. As mulheres usavam cintos de castidade?

Shutterstock

Algumas fontes propagam com certa frequência o mito de que os homens na Era Medieval colocavam cintos de castidade em suas esposas quando iam viajar ou passar muito tempo longe de casa. Este equipamento, no entanto, foi uma invenção da Era Moderna, e apesar de ser bastante retratada na arte, não era utilizada desta forma, sobretudo na Idade Média.

4. As pessoas não conseguiam chegar sequer aos 30 anos de idade.

Shutterstock

De fato a expectativa de vida das pessoas na Idade Média não era das melhores, mas é um tanto exagerado dizer que elas não chegavam aos 30 anos. Quando uma pessoa conseguia passar pela infância sem maiores problemas e chegava na vida adulta, o maior risco (além das guerras) eram as epidemias. Caso você vivesse em uma época “tranquila” em relação às doenças, as chances de alguém chegar aos 60-70 anos era bem considerável.

5. As pessoas passavam a vida toda em seus vilarejos de nascimento?

Shutterstock

Essa é mais uma desinformação que muitas pessoas acabam propagando. As pessoas que viviam na Era Medieval tinham obviamente muito mais dificuldades que nós para viajar a outro lugares – principalmente por conta dos meios de transporte da época. No entanto, até mesmo os camponeses davam um jeito, muitas vezes, de conhecer outras cidades.

Normalmente, as pessoas peregrinavam por razões religiosas, mas há também registros de alguns indivíduos (mais abastados, obviamente) que passavam boa parte de suas vidas conhecendo outras culturas.

6. Os senhores feudais passavam a noite de núpcias com as noivas de seus servos?

Shutterstock

Trata-se de uma história que é propagada inclusive por alguns historiadores, mas que causa uma grande controvérsia entre os especialistas. A maior parte das fontes concorda que não há indícios de que essa prática realmente existiu, e provavelmente trata-se de um mito fruto da má interpretação de textos antigos.

7. As mulheres não tinham quase nenhum direito?

Shutterstock

Esse é um fato que, em tese, pode ser considerado verdadeiro, mas é necessário fazer algumas ressalvas. A luta das mulheres pela igualdade de oportunidades e direitos existe há muito tempo, e se mantém até os dias de hoje, já que infelizmente a sociedade moderna ainda guarda uma série de preconceitos.

Isso faz com que obviamente a vida das mulheres tenha sido ainda mais difícil na era medieval, já que a grande maioria precisava escolher entre se casar (muitas vezes com alguém extremamente abusivo, escolhido pela família) ou entrar para a Igreja. Mas é preciso dizer que há registros  de muitas mulheres que exerciam atividades normalmente retratadas como “masculinas” para a época. Entre os vikings, por exemplo, há muitos relatos de mulheres que batalhavam na linha de frente nas guerras, bem como trabalhavam como ferreiras. Isso sem levar em conta as que se transformaram em rainhas, condessas e etc.

8. Terra plana?

Shutterstock

A ideia da Terra Plana era bastante comum na Escandinávia entre o século IX e XII, mas a partir da chegada da religião Cristã essa realidade começou a mudar. As pessoas mais instruídas, já durante a Idade Média, tinham o conhecimento de que a Terra possuía forma esférica, o que fica claro quando observamos mapas e textos da época.

9. Colombo não queria provar que a Terra era redonda.

Shutterstock

Na verdade, a famosa viagem de Cristóvão Colombo tinha como intuito mostrar que a Terra era muito maior do que era imaginado na época.

10. As pessoas comiam com as mãos, em vez de usar talheres?

Shutterstock

Muitos filmes mostram as pessoas na época medieval comendo com as próprias mãos, sem o uso de talheres. No entanto, os talheres já eram populares desde o Império Bizantino, no Século VI.

você pode gostar também
1 comentário
  1. Homero Signorini Diz

    A Inquisição foi criada na Idade Média (século 13) e era dirigida pela Igreja Católica Romana. Ela era composta por tribunais que julgavam todos aqueles considerados uma ameaça às doutrinas (conjunto de leis) desta instituição. Todos os suspeitos eram perseguidos e julgados, e aqueles que eram condenados, cumpriam as penas que podiam variar desde prisão temporária ou perpétua até a morte na fogueira, onde os condenados eram queimados vivos em plena praça pública.
    Aos perseguidos, não lhes era dado o direito de saberem quem os denunciara, mas em contrapartida, estes podiam dizer os nomes de todos seus inimigos para averiguação deste tribunal medieval. Com o passar do tempo, esta forma de julgamento foi ganhando cada vez mais força e tomando conta de países europeus como: Portugal, França, Itália e Espanha. Contudo, na Inglaterra, não houve o firmamento destes tribunais.
    Muitos cientistas também foram perseguidos, censurados e até condenados por defenderem ideias contrárias à doutrina cristã. Um dos casos mais conhecidos foi do astrônomo italiano Galileu Galilei, que escapou por pouco da fogueira por afirmar que o planeta Terra girava ao redor do Sol (heliocentrismo). A mesma sorte não teve o cientista italiano Giordano Bruno que foi julgado e condenado a morte pelo tribunal.
    As mulheres, onde existia a cúria romana também sofreram nesta época e foram alvos constantes. Os inquisidores consideravam bruxaria todas as práticas que envolviam algum tipo de cura através dos chás ou remédios feitos de ervas ou outras substâncias. As “bruxas medievais” que nada mais eram do que conhecedoras do poder de cura das plantas também receberam um tratamento violento e cruel, mas isso ameaçava a dominação dos clérigos da época, que viam nisso um desvio de sua influência.
    Este movimento se tornava cada vez mais poderoso, e este fato, atraía os interesses políticos. Durante o século 15, o rei e a rainha da Espanha se aproveitaram desta força para perseguirem os nobres e principalmente os judeus. No primeiro caso, eles reduziram o poder da nobreza, já no segundo, eles se aproveitaram deste poder para torturar e matar os judeus, tomando-lhes seus bens.
    Durante a esta cruel época da história, muitas milhares de pessoas foram torturadas, ou queimadas vivas por acusações que, muitas vezes, eram injustas e infundadas. pois nem havia provas das acusações. Com um poder cada vez maior nas mãos, o Grande Inquisidor chegou até mesmo a desafiar reis, nobres, burgueses e outras importantes personalidades da sociedade da época. Por fim, esta perseguição aos hereges e protestantes foi finalizada somente no início do século 19. A Idade Média, conhecida como era das trevas, pelo poder aterrorizante da tenebrosa Igreja Católica, só serve aos monstruosos tradicionalistas de hoje, mas seu fracasso é iminente, diante co cumprimento de profecias bíblicas como a que se encontra em Apocalipse 16:16 e Apocalipse 7:9-17. É só uma questão de tempo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.