10 fotografias que possuem histórias arrepiantes por trás

Toda fotografia possui uma história por trás, seja ela simples ou complexa. Como atualmente somos bombardeados todos os dias com centenas de imagens nas redes sociais, muitas vezes deixamos de prestar atenção naquelas realmente têm algo importante para nos contar.

Nessa lista, você vai conhecer algumas imagens que guardam histórias intrigantes e curiosas, que infelizmente poucas pessoas conhecem.

Confira:

1. Turma de Colombine.

Reprodução

Essa foto, feita na Columbine High School em 1999, tinha tudo para ser uma simples foto de colegial. Entretanto, essa foto entrou para a história por um motivo macabro.

Entre os garotos circulados na imagem, no canto superior esquerdo, estão Eric Harris e Dylan Klebold, responsáveis pelo terrível massacre de Columbine, que terminou com a morte de 12 estudantes e um professor. Outras 21 pessoas foram feridas diretamente pelos atiradores, enquanto outras três se feriram tanto escapar. Os dois assassinos cometeram suicídio após o massacre.

2. Sequestro de Samantha Koenig.

Reprodução

Samantha Koenig foi sequestrada por Israel Keyes em 1º de fevereiro de 2012, quando tinha 18 anos de idade. O sequestrador estuprou a garota, roubou seus cartões de crédito e a assassinou depois disso. Logo após o crime, o assassino escondeu o corpo da garota em um galpão e viajou para Nova Orleans, onde se juntou à sua família para uma viagem de duas semanas.

Após a viagem, Keyes voltou para o galpão, maquiou o cadáver, prendeu suas pálpebras e tirou uma foto da garota ao lado de um jornal atual. A foto, então, foi enviada para a família de Samantha, junto com um pedido de 30 mil dólares pelo “resgate”.

Mesmo após o pagamento do valor por parte da família, Keyes desmembrou o corpo da garota e jogou seus restos mortais no Lago Matanuska.

O assassino acabou sendo pego tempo depois, após utilizar indiscriminadamente o seu cartão de crédito, que fora rastreado pela polícia.

3. Bebês sepultados em árvores.

Reprodução

O povo da etnia ‘Toraja’, que vive no sul da Indonésia, possui um ritual pouco comum para sepultar seus mortos. Normalmente, os cadáveres são mantidos por muitos dias em casa, junto a seus familiares, até que a família tenha dinheiro suficiente para uma cerimônia digna.

No entanto, mais curioso ainda é a forma como esse povo enterra os bebês que acabam por perder a vida muito cedo. Quando uma criança morre antes de desenvolver seus primeiros dentes, ela é sepultada dentro de uma árvore oca, que é posteriormente fechada com tecidos e outros materiais. Os ‘torajanos’ acreditam que, desta forma, a árvore absorve o espírito da criança.

4. Montanha de crânios.

Reprodução

Entre os anos de 1800 e 1900, os colonizadores dos Estados Unidos mataram milhares de bisões americanos, animais extremamente comuns no país na época. Os bisões eram caçados pela carne, pele ou simplesmente por diversão.

O pior momento foi entre 1872 e 1874, quando carregamentos gigantescos de pele de bisão foram comercializadas e exportadas para o leste, deixando um rastro de destruição nas populações deste animal. Uma população que antes contava com 30 a 60 milhões de bisões, em pouco tempo foi reduzida a poucas centenas.

Essa foto, feita em 1870, mostra uma montanha feita dos crânios de bisões americanos, no centro-oeste dos EUA. Felizmente, a caça a estes animais foi gradualmente reduzindo até o ponto atual, em que estima-se que existam 500 mil bisões americanos no país.

5. Explosão de Omagh.

Reprodução

Esta foto poderia ser uma imagem comum de um pai com seu filho. Isso se o carro vermelho logo atrás dos dois não estivesse equipado com uma bomba.

Esta imagem foi feita minutos antes da explosão em Omagh, na Irlanda do Norte, em 1998, e foi encontrada em uma câmera localizada entre os destroços. Ao todo, 29 pessoas morreram após o ataque terrorista. O pai e filho que aparecem na foto sobreviveram à explosão.

6. Fotografia pós-morte.

Reprodução

Pode não parecer, mas a garota no centro desta foto está morta. Esta imagem é um dos vários exemplos que você pode encontrar na Internet das fotografias post mortem, uma prática comum no passado em que as famílias se despediam de seus entes queridos batendo uma foto. Em alguns casos, essa era a única maneira da família guardar um retrato do ente querido, já que as pessoas não costumavam bater muitas fotos no passado.

7. Tereska.

Reprodução

A garotinha da foto é Tereska, e o desenho no quadro negro foi feito após sua professora pedir para que ela desenhasse sua casa. Em vez de desenhar uma casa normal, a menina fez uma série de linhas e padrões ondulados.

Quando tinha apenas 4 anos de idade, Tereska viu seu pai ser preso pela Gestapo, polícia secreta da Alemanha Nazista. Junto com sua irmã, já adolescente, a menina fugiu para a casa de sua avó. Pouco tempo depois, no entanto, a casa foi atacado, e elas precisaram fugir. A avó precisou voltar para a casa, com a intenção de buscar algo que ela havia esquecido. Infelizmente, ela nunca voltou. Em meio às explosões, um estilhaço atingiu a cabeça de Tereska, que teve o lado esquerdo do seu cérebro danificado.

Depois disso, ela passou o resto de sua vida em um instituto para portadores de doenças mentais, até que faleceu em 1978.

8. Ataque com espada.

Reprodução

No dia 22 de outubro de 2015, o sueco Anton Lundin Pettersson entrou na escola Kronan, em Trollhättan, na Suéca, vestindo um capacete da Segunda Guerra Mundial e uma máscara que lembrava a de Darth Vader. O rapaz também carregava uma espada.

Nas dependências da escola, ele atacou Lavin Eskandar, de 20 anos, e Ahmed Hassan, de apenas 15 anos. A primeira vítima faleceu no local, enquanto a segunda chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

A fotografia que você vê acima foi feita após os assassinatos, ao lado de dois garotos que pediram para tirar uma foto com Anton, pensando que se tratava de uma fantasia de Halloween.

Pouco depois, Anton também atacou o professor Nazir Amson, de 42 anos, que morreu após passar 6 semanas no hospital tentando se recuperar dos ferimentos.

Anton foi neutralizado pela polícia, assim que ela chegou à escola.

9. Soldado traumatizado.

Reprodução

Esta foto foi feita em setembro de 1916, em uma trincheira, durante a Batalha de Flers-Courcelette, na França. Em meio ao cenário de destruição, este fotógrafo foi capaz de registrar a imagem de um soldado aparentemente sorrindo.

Entretanto, diversos especialistas já analisaram a imagem em questão, e concordam com a hipótese de que provavelmente o soldado não estava feliz, e sim em um estado de choque provocado por todas as atrocidades que havia presenciado na guerra.

Cá entre nós, isso faz com que a foto seja ainda mais perturbadora.

10. Pouco antes do desastre.

Reprodução

A imagem acima foi feita em 4 de agosto de 2020, pouco antes da devastadora explosão no porto de Beirute. O nitrato de amônio, causador da explosão, havia sido armazenado de forma indevida. A destruição foi tão grande que os estrondos foram ouvidos no Chipre, e destroços acabaram caindo na Turquia, Síria e Israel. Trata-se de uma das piores explosões não-nucleares de toda a história.

A fotografia em questão foi encontrada no celular de um fotógrafo que morreu com a explosão, e mostra um grupo de bombeiros tentando desesperadamente entrar em um dos galpões do porto, após o relato de que havia um incêndio.

Infelizmente, a explosão não pôde ser evitada.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.