10 fatos sobre o Egito Antigo que talvez nunca tenham te contado

A história do Egito Antigo é bastante ensinada durante as aulas de história no Ensino Médio, mas muitos desses fatos, certamente, não lhe foram contados por seu professor, principalmente por não se encaixarem no currículo escolar. Felizmente, a Internet não liga tanto assim para o que cai na prova. Confira:

1. A cerveja era utilizada como forma de pagamento e até mesmo como contrapartida do casamento.

A cerveja era utilizada como forma de pagamento e até mesmo como contrapartida do casamento
Shutterstock

A cerveja consumida no Egito Antigo era bastante diferente daquela que conhecemos hoje em dia, mas era extremamente valorizada. Há registros que indicam que contratos de prestação de serviços eram assinados com a promessa de contrapartida em barris de cerveja. Durante a cerimônia de casamento, também, os maridos se comprometiam a oferecer uma quantia pré-determinada de fatias de pão e jarros de cerveja por dia para suas esposas.

2. Eles acreditavam em muitos, muitos Deuses.

Deuses egípcios
Shutterstock

Se na religião católica, muçulmana, entre outras, existe apenas um Deus todo-poderoso e onisciente, na crença dos antigos egípcios a história era bem diferente. Estima-se que eles possuíam mais de 2000 divindades diferentes, cada uma para um aspecto diferente da vida, incluindo até mesmo as tarefas da casa.

3. Gatos eram sagrados no Egito.

Gatos eram sagrados no Egito
Shutterstock

Se hoje em dia um parcela bem considerável das pessoas ama os gatos e os cuidam como se fossem membros da família, isso era ainda mais perceptível no Egito Antigo. À época, os felinos eram considerados criaturas divinas, e ter um gato em casa era certeza de boa sorte para a família.

4. Os sapatos tinham um outro significado para os egípcios.

Os sapatos tinham um outro significado para os egípcios
Shutterstock

A maior parte da população egípcia da época andava de pés descalços, mesmo entre a nobreza, mas isso não significa que as pessoas não costumavam ter calçados. Alguns faraós, inclusive, possuíam sandálias com o nome ou o desenho da face de seus inimigos na sola, para que pudesse “pisar” sobre eles. No entanto, eles raramente usavam tais sandálias.

Visto que alguns calçados eram até mesmo feitos de ouro, podemos imaginar o motivo pelo qual eram pouco utilizados. Imagine andar por aí com uma sandália feita de metal…

5. Homens e mulheres usavam maquiagem no Egito.

Homens e mulheres usavam maquiagem no Egito
Shutterstock

Se hoje a maquiagem é um acessório utilizado majoritariamente pelas mulheres, no Egito homens e mulheres usavam na mesma proporções. Acreditava-se, na época, que o acessório ajudava as pessoas a se protegerem do sol, além de oferecer benefícios “mágicos”. As maquiagens mais utilizadas eram feitas de cobre (e apresentavam uma coloração esverdeada) ou chumbo (coloração preta).

6. Crença na vida após a morte.

Múmia egípcia
Shutterstock

O ‘além-vida’ era extremamente importante para os egípcios, e foi justamente por conta desta crença que eles desenvolveram suas técnicas de mumificação. Eles acreditavam que, preservando o corpo de seus entes queridos que haviam falecido, eles poderia permitir a eles uma vida eterna no outro plano. [Exploradores abrem sarcófago de 2000 anos durante transmissão ao vivo]

7. Os egípcios usavam incensos sobre suas cabeças.

 Os egípcios usavam incensos sobre suas cabeças.
Shutterstock

Como se preocupavam muito com os aromas, alguns egípcios possuíam o hábito de manter sobre suas cabeças uma espécie de incenso, normalmente feito de cera, misturado com ervas e outros produtos que cheirassem bem. Por conta do clima quente do Egito, o material começava a produzir um aroma agradável ao redor de quem usava o ornamento, servindo como uma espécie de perfume.

8. Retratos em funerais.

Tumba egípcia
Shutterstock

Durante um bom tempo, era comum no Egito que durante os funerais fossem exibidos retratos das pessoas mortas, de forma a representá-las e servir como ornamento para as tumbas. Acreditava-se, naquela época, que os ornamentos eram necessários na “vida póstuma”.

Muitos retratos, que eram pintados durante a vida da pessoa, para depois serem exibidos no funeral, foram muito bem preservados ao longo do tempo, e até hoje estão guardados em museus egípcios. Por meio deles, é possível ter uma ideia mais próxima da realidade de como eram as pessoas naquela época.

9. Escravos eram utilizados para afastar as moscas.

Escravos eram utilizados para afastar as moscas
Shutterstock

Para evitar que as moscas incomodassem as pessoas da nobreza, o Faraó Pepi II costumava ordenar que escravos fossem cobertos de mel para atrair os insetos.

10. Era muito comum que as pessoas mais ricas utilizassem perucas.

Antigo Egito
Shutterstock

Hoje em dia as perucas muitas vezes são vistas como acessórios a se evitar. No entanto, no Egito Antigo, pertenciam à nobreza e eram muito utilizadas entre os mais ricos.

você pode gostar também
5 Comentários
  1. Semel Ucals Diz

    Faltou dizer de os faraós eram negros , e não brancos como a história diz !

    1. PCAriza Diz

      Querido, basta olhar as cores das imagens pintadas nas paredes que você verá que não eram negros não. Os núbios eram representados como negros. A maioria das egípcias com a pele bem branca e os homens com a pele mais escura um pouco representando que ficavam maos ao sol. Até onde sei, negros não mudam de cor no sol. Kkkkk

  2. Francisca Diz

    Gostei da resposta..PCariza.

  3. Marco Diz

    PCariza e Samuel, sei que essa batalha etnica é importante pra muitas pessoas, pois ter uma civilização próspera e grandiosa em plena África é um lugar a se querer conquistar (para brancos e para negros), mas os egípcios eram exatamente como eles são hoje (como todo o povo do norte da África). Esse povo não sumiu da face da terra. Os descendentes estão lá. Quer saber a cor deles? Só procurar pelo Egito contemporâneo. Os Líbios governaram o Egito por uma época, e aí haviam os Faraós negros, da dinastia Líbia. Nas pinturas que sobreviveram tanto homens quanto mulheres são representados num tom ocre. Os descententes líbios mais escuros e os gregos mais claros. Esse conceito nosso de cor nem existia naquela época, você era do seu povo. Os egípcios não eram brancos, nem negros. Pra um período mais ao final da história do Egito possivelmente eles eram uma mistura de vários povos. Mas definitivamente ao longo de toda sua história eles eram não-brancos (o que quer dizer que eles também não eram negros).

    Falar que os egípcios eram negros ou brancos tem o mesmo significado que falar que os “brasileiros são negros”, ou “os brasileiros são brancos”.

  4. Claudia Máris Diz

    Até que enfim encontrei pessoas postando comentários coerentes. É isso aí, PCAriza e Marco!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.