10 casos bizarros de histeria coletiva

Histeria coletiva é o termo comum usado para descrever uma situação em que várias pessoas sofrem de sintomas histéricos semelhantes – ou de uma doença fantasma ou um evento inexplicável. Esta lista analisa 10 dos mais conhecidos casos do passado distante e recente.

1. Água doce de Mumbai

O incidente de água doce de Mumbai, em 2006, foi um fenômeno durante o qual os moradores de Mumbai espalharam a notícia de que a água em Mahim Creek, uma das baías mais poluídas da Índia, que recebe milhares de toneladas de esgoto bruto e efluentes industriais a cada dia, tinha de repente se transformado em água “doce”. Em poucas horas, os moradores de Gujarat alegaram que a água do mar na praia Teethal tinha se tornado doce também. Na sequência dos incidentes, as autoridades locais temiam a possibilidade de um surto grave de doenças transmitidas pela água, como a gastroenterite. O Conselho de Controle de Poluição de Maharashtra havia alertado as pessoas a não beber a água, mas, apesar disso, muitas estavam recolhendo em garrafas. Por duas horas no dia seguinte, os devotos disseram que a água tinha ficado salgada novamente. Não há relatos dos danos causados após a histeria em massa.

2. Epidemia do riso de Tanganyika

 Epidemia do riso de Tanganyika

A epidemia do riso de Tanganyika em 1962 foi um surto inexplicável de histeria em massa que se acredita ter originado perto da aldeia de Kashasha, na costa ocidental do Lago Vitória, na atual Tanzânia, perto da fronteira do Quênia. É possível que, no início do incidente, uma piada contada em um colégio fez com que um pequeno grupo de alunos começasse a rir. O riso se perpetuou e várias pessoas em cidades ao redor estavam rindo descontroladamente. A escola a partir do qual a epidemia surgiu foi desativada. Outras escolas em outras aldeias que compreendem milhares de pessoas também foram afetadas. De 6 a 18 meses depois de ter começado, o fenômeno passou. Os seguintes sintomas foram relatados em uma escala igualmente massiva: dor, desmaios, problemas respiratórios, erupções cutâneas, e ataques de choro.

3. Milagre do leite Hindu

O milagre do leite Hindu foi um fenômeno considerado por muitos hindus como um milagre que ocorreu em 21 de setembro de 1995. Antes do amanhecer, um adorador Hindu em um templo no sul de Nova Deli, Índia, fez uma oferta de leite para uma estátua de Lord Ganesha. Quando uma colher de leite da bacia foi colocada no tronco da estátua, o líquido foi visto sumindo, aparentemente sugado, segundo o homem. Palavras do evento se espalharam rapidamente, e na manhã seguinte, verificou-se que as estátuas de todo o panteão hindu em templos em todo norte da Índia estavam mergulhadas em leite. Um pequeno número de templos fora da Índia relatou o efeito por mais alguns dias. Céticos afirmam que o incidente foi um exemplo de histeria em massa, e quando relatos do macaco-homem de Nova Deli (mais a frente) começaram a aparecer em 2001, muitos jornais remeteram ao evento.

4. Epidemia do inseto

Epidemia do inseto

Em 1962, uma misteriosa doença eclodiu em um departamento de costura de uma fábrica têxtil dos EUA. Os sintomas incluíam dormência, náuseas, tonturas e vômitos. Boatos de um inseto na fábrica que mordia suas vítimas e causava os sintomas rapidamente se espalharam. Logo, 62 funcionários desenvolveram esta doença misteriosa, alguns dos quais foram hospitalizados. A mídia informou sobre o caso. Uma pesquisa por médicos da empresa e especialistas do Serviço de Saúde Pública e do Centro de Doenças Transmissíveis concluiu que o caso era uma histeria em massa. Enquanto os pesquisadores acreditavam que alguns trabalhadores foram de fato picados por insetos comuns, a ansiedade era provavelmente a causa dos sintomas em todos os outros funcionários. Nenhuma evidência jamais foi encontrada que um inseto podia causar os sintomas gripais acima.

5. Histeria de novela 

Histeria de novela

Morangos com Açúcar era uma telenovela juvenil muito popular em comunidades portuguesas, especialmente entre as crianças e adolescentes, com o objetivo de retratar as aventuras de jovens comuns portugueses. Em maio de 2006, um surto de um vírus retratado em “Morangos com Açúcar” foi relatado nas escolas portuguesas. 300 ou mais alunos em 14 escolas relataram sintomas semelhantes aqueles experimentados pelos personagens em um episódio recente. Os sintomas incluam erupções, dificuldade em respirar e tonturas, forçando algumas escolas a fechar. O Instituto Nacional de Emergência Médica confirmou que a doença era na verdade um caso de histeria coletiva.

6. A Senhora Tóxica

A Senhora Tóxica

Gloria Ramirez, da Califórnia, foi apelidada de “senhora tóxica” pela mídia depois que a exposição do seu corpo e sangue tinha adoecido vários trabalhadores do hospital. Ela foi levada às pressas para um hospital em 1994 por causa dos efeitos do câncer cervical. A equipe médica que a viu começou a se sentir mal e, eventualmente, desmaiou. O corpo de Gloria exalava um cheiro de alho e seu sangue continha manchas de uma substância estranha como papel. Curiosamente, mais mulheres do que homem sentiram os efeitos, e todos os que estavam “doentes” apresentavam resultados normais em exames de sangue. O departamento de saúde emitiu um comunicado na conclusão de sua investigação dizendo que aqueles que e ficaram doentes, na verdade, estavam sofrendo de histeria coletiva.

7. A Guerra dos Mundos 

A Guerra dos Mundos

O caso de histeria coletiva mais famoso do mundo, e talvez o mais interessante. “Guerra dos Mundos” foi um episódio de rádio da série americana Mercury Theatre. Foi exibida como um episódio de Halloween em 30 de outubro de 1938 e foi ao ar pela rede de rádio Columbia Broadcasting System nos EUA. Dirigido e narrado por Orson Welles, o episódio foi uma adaptação do romance de HG Wells, A Guerra dos Mundos. Alguns ouvintes ouviram apenas uma parte da transmissão, e na atmosfera de tensão e ansiedade que antecediam a Segunda Guerra Mundial, muitos acreditaram que era uma transmissão de notícias, e não uma peça fictícia. Milhares de pessoas apavoradas tomaram as ruas de várias cidades dos EUA, principalmente Nova Jersey e Nova York  – muitos até relataram sentir um cheiro de gás venenoso no ar ou ver relâmpagos à distância. Para as pessoas que pegaram a peça pela metade, a transmissão parecia de fato um evento real. Eventualmente, a polícia foi enviada para controlar as multidões após várias horas de tensão.

8. O homem macaco de Delhi

3910418181146

Em maio de 2001, relatos começaram a circular na capital indiana Nova Deli de uma criatura estranha que estava aparecendo à noite e atacando pessoas. Os relatos de testemunhas eram muitas vezes inconsistentes, mas tendiam a descrever a criatura com cerca de 120 cm de altura, cobertas de pelo preto grosso, com um capacete e garras de metal, olhos vermelhos brilhantes e três botões no seu peito. Teorias sobre a natureza do “homem macaco” variavam de um avatar de um deus hindu até uma versão indiana do Pé Grande, além de um ciborque que podia ser desativado ao jogar água na placa-mãe escondida sob a pele em seu peito. Muitas pessoas relataram ter sido atacadas, e 3 morreram ao pular do topo de edifícios com medo de encontrar a criatura – 15 ficaram feridas. Como nenhuma evidência da criatura foi encontrada, o caso foi concluído como mais um de histeria coletiva.

9. Pânico peniano 

Foi um caso de histeria em massa em que membros do sexo masculino de repente passaram a acreditar que seus órgãos genitais estavam ficando menores ou desaparecendo por completo. O caso aconteceu principalmente na África e Ásia. Crenças locais em muitos casos afirmavam que tais alterações físicas eram muitas vezes fatais. Lesões ocorreram quando os homens usavam artifícios como agulhas, ganhos, linha de pesca e cadarços para evitar o encolhimento ou desaparecimento do órgão. Uma epidemia atingiu Cingapura em 1967, resultando em milhares de casos relatados. O governo e autoridades médicas aliviaram o surto apenas com uma campanha maciça para tranquilizar os homens da impossibilidade anatômica de tal coisa acontecer.

10. Dança da morte

Dança da morte

Foi um caso de dançomania que ocorreu em Estrasburgo, atual Françam em 1518. Numerosas pessoas começaram a dançar mesmo sem música por dias sem descanso. O surto começou em julho de 1518, quando uma mulher, Frau Troffea, começou a dançar inexplicavelmente com fervor em uma rua em Estrasburgo entre 4 a 6 dias. Dentro de uma semana, outros 34 tinham aderido, e dentro de um mês, havia cerca de 400 dançarinos. A maioria dessas pessoas, eventualmente, morria de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, ou exaustão. Não se sabe por que essas pessoas dançavam até a morte, nem está claro que elas estavam dançando voluntariamente. [ListVerse]

Comentários
Carregando...