fbpx

10 animais que praticam canibalismo durante o ato sexual

Uma das maiores verdades já dita é que aquilo que é feito entre quatro paredes (desde que dentro da lei, é claro) deve permanecer entre quatro paredes. Mas a verdade é que quando o assunto é reprodução, alguns animais possuem comportamentos, digamos, “exagerados”.

Confira:

1. Aranhas da família Araneidae

WikiCommons

Os machos da família Araneidae, também conhecida como ‘Orb-Weaving Spiders’, em inglês, raramente podem se considerar “experientes” quando o assunto é reprodução. Isso porque na grande maioria das relações as fêmeas acabam por comer (no sentido literal) seus parceiros.

Vamos torcer para que, pelo menos, a experiência seja única em todos os sentidos.

2. Latrodectus hasseltii.

WikiCommons

Se esta não é a primeira vez que você está lendo sobre animais bizarros, provavelmente você já está esperando que em algum momento surja um animal da Austrália nesta lista.

Pronto, a espera acabou já no segundo item. As aranhas Latrodectus hasseltii possuem um método de reprodução capaz de fazer qualquer um regurgitar o almoço.

Primeiro de tudo, os machos precisam entrar na teia da fêmea para buscar a reprodução. Só por isso já é considerável o risco de ser confundido com o jantar. Mas os problemas para os machos não terminam por aí. Para manter a atenção das fêmeas, eles prendem-se com a cabeça na teia, enquanto projetam o corpo para frente, quase que como em uma cambalhota, “oferecendo” o abdome às fêmeas. É neste momento que elas começam a literalmente comer o macho, enquanto ele rapidamente tenta aproveitar este momento para realizar o ato, passando o material genético e, posteriormente, sendo devorado pela própria parceira.

Tudo em nome da propagação da espécie!

3. Ariolimax

WikiCommons

Saindo das aranhas, mas seguindo na bizarrice, as lesmas do gênero Ariolimax não ficam para trás quando o assunto é métodos assustadores de reprodução.

Esses animais são hermafroditas, e sequer precisam de um parceiro para se reproduzir. Mesmo assim, quando há um parceiro disponível, eles preferem fazer tudo em companhia. O problema é que a cena não assim tão romântica.

Essas lesmas “avisam” as demais que estão disponíveis para copular liberando uma substância química no solo, e aguardando pacientemente por um parceiro. Quando as duas lesmas se encontram, elas praticam o ato reprodutivo consumindo as secreções uma da outra.

No final de tudo, como se as coisas já não estivessem nojentas o suficiente, elas precisam roer seus próprios órgãos reprodutivos para “desencaixar” do parceiro, cometendo um ato de “auto-canibalismo” Está bom para você?

4. Polvos

WikiCommons

Para reproduzirem-se, os polvos precisam inserir um de seus braços no interior do corpo da fêmea, em um ato que não costuma ser muito seguro para eles. Em alguns casos, a fêmea aproveita a situação para prender o macho e usá-lo como alimento.

Para evitar essas situações, muitos polvos machos já foram vistos copulando a uma distância considerável, de onde se sintam mais seguros de que podem escapar de uma tentativa de ataque.

5. Anacondas

WikiCommons

As fêmeas de anacondas são naturalmente maiores que os machos, e fazem uso deste recurso para estrangular seus parceiros durante o ato reprodutivo. Normalmente, a última refeição da fêmea antes do jejum do período gestacional é o próprio pai dos filhotes.

Romântico, não?

6. Grilo de Sagebrush

illinoisstate.edu

Os grilos são tão inofensivos, como eles poderiam fazer parte desta lista? Ledo engano.

Para evitar serem completamente devorados por suas parceiras durante o ato reprodutivo, os grilos de sagebrush normalmente oferecem suas próprias asas como alimento, em uma tentativa de manter a fêmea suficientemente entretida durante a atividade.

O grande problema é que, caso o macho sobreviva, suas asas já não vão mais ser tão atrativas para a próxima fêmea, o que pode complicar as coisas um bocado.

As fêmeas, neste caso, preferem os grilos virgens.

7. Salticidae

WikiCommons

E aqui estamos nós, mais uma vez, falando sobre as aranhas.

A aranha-saltadora (Salticidae) é outro tipo de aracnídeo que se envolve em canibalismo sexual.

Os machos desta espécie não conseguem distinguir perfeitamente entre as espécies de aranhas, e comumente acabam copulando com membros de outras espécies. Quando eles têm o azar de tentar se reproduzir com uma espécie muito maior, correm sério risco de terminarem como um lanchinho.

8. Viúva-Negra

Talvez uma das integrantes mais populares e famosas desta lista, a viúva-negra também possui comportamentos bizarros quando o assunto é copular.

Algumas aranhas deste gênero devoram inteiramente seus machos. Ainda que isso seja observado principalmente em situações onde os animais estão sendo mantidos em cativeiro, o comportamento também já foi visto na natureza.

9. Hermissenda crassicornis.

inaturalist.org

Um nome bem simpático para um animal com um comportamento nada belo. Essas lesmas marinhas são hermafroditas, mas quando optam por copular com um parceiro, normalmente a brincadeira acaba com um dos dois servindo de refeição para o outro.

10. Louva-a-deus

gizmodo.com

Deixamos para o final o animal que mais vezes é reconhecido pelo comportamento canibal durante a reprodução. As fêmeas de louva-a-deus, em cerca de 20% das vezes, devoram seus parceiros durante o ato reprodutivo, e de acordo com os especialistas as fêmeas que praticam o canibalismo acabam por colocar mais ovos.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.