Isso é o que pode acontecer se seu cãozinho lamber a sua boca

Saiba por que você nunca deve deixar seu cãozinho lamber a sua boca
769 visitas
Um novo estudo realizado poderá mudar seus hábitos com relação a este assunto.

Todos nós, em algum momento, deixamos nosso cãozinho fazer isso – ao chegarmos em casa e encontrarmos nossos cães na porta, abanando seus rabinhos e principalmente olhando para nós com aquela carinha, prontamente nos abaixamos e lhe damos um abraço.

Estes abraços entretanto acabam sempre em lambidas do animal em nossos rostos, muitas vezes nas regiões do nariz, bochechas e boca. Porém, podemos nos perguntar: seria isso algo higiênico? Um novo estudo realizado poderá mudar seus hábitos com relação a este assunto.


Em 2011, uma equipe de pesquisadores japoneses coletou placa dentária de 66 cães e 81 humanos que visitaram escolas de treinamento de cães e clínicas de animais em Okayama, no Japão. A placa foi colocada sob microscópios e analisadas quanto aos sinais de bactérias. Como teorizou, os resultados da pesquisa – publicados na revista Archives of Oral Biology – determinaram que tanto os seres humanos como os cães contêm bactérias em suas bocas, que poderiam ser transferidos uns aos outros através do ato de “beijar”.

Beijar seu cão pode levar à doença de goma

Os pesquisadores encontraram bactérias “peridontopáticas” causadoras de doenças presentes na placa de cães e humanos submetidas aos testes. Esta bactéria está ligada ao periodontis, uma forma grave de doença de goma que, segundo o Pacific Northwest Veterinary Dentist & Oral Surgery Center, provoca a destruição dos tecidos de suporte do dente e pode levar a doenças cardíacas, doenças renais e diabetes.


Tipos de bactérias encontradas nas amostras

O estudo revelou que existem três tipos de bactérias orais causadoras de doenças: Porphyromonas gulae, Tannerella forsythia e Campylobacter rectus que são frequentemente encontradas nos cães, enquanto as taxas de detecção dessas espécies em seres humanos eram menos frequentes. Aí desmistifica-se o ditado popular A boca do seu cão é mais limpa do que a sua”.

As amostras de placa também mostraram o aparecimento de Porphyromonas gulae em 13 indivíduos humanos e todos os seus cães testados. Além disso, os pesquisadores publicaram que as bactérias conhecidas como Eikenella corrodens e Treponema denticola em espécimes obtidos de cães que foram correlacionadas a sua presença também nos proprietários que tinham contato próximo com eles.

Além destas, existe uma gama de bactérias especificas que são necessárias na boca dos cães, tais como outras que são essenciais aos seres humanos. A transferência delas pode ser fatal não só a sua saúde, como também a saúde de seu bichinho.

“Se o seu cão é um verdadeiro limpador, que lambe o chão e também o ânus com frequência, as consequências são ainda mais graves. Os cães geralmente carregam germes de suas fezes e de itens que encontraram no chão ou na rua, das quais podem se incluir a toxocara, salmonela, giardia, ancilostomídea, ténia e muitos outros, colocando a saúde da sua família em risco.” – disse Dr. Oz disse em uma entrevista ao People Pets.

Este na verdade é o grande problema: apesar de adorável os “lambeijos” são perigosos por conta dos organismos que não são encontrados normalmente na boca humana. Todavia, você pode demonstrar seu carinho de outra forma, abraçando e beijando seus animais em outros locais que não seja na boca.

[Cesar Way]

Luciana Calogeras é professora e pesquisadora curiosa em diversas áreas do conhecimento. Qualquer sugestão ou feedback, fique à vontade para entrar em contato em seu perfil do Facebook.

Comentários