Parecem inofensivas, mas essas 12 substâncias mortais podem estar na sua casa neste exato momento

11.107 visitas
Há perigos à espreita em todos os lugares e nossas casas não são as exceções.

Estes itens comuns podem estar causando danos à sua saúde e à de sua família, de modo que vale muito a pena conhecer essas substâncias mortais que podem estar aí ao seu lado e tomar uma providência com relação a elas:

12 – Teflon

O teflon e outros revestimentos antiaderentes são feitos com perfluorooctanoic (PFOA) ou acidpolytetrafluoroetheylene (PTFE), e estes produtos químicos podem causar defeitos congênitos como níveis anormais da tireóide, inflamação do fígado, defesas imunes enfraquecidas, entre outros graves.

Para solucionar o problema, opte por utensílios de ferro fundido ou de cerâmica, ou procure panelas revestidas com materiais que levam o selo de ecologicamente corretos.

11 – Garrafinhas plásticas

 

Muitas garrafas plásticas de policarbonato foram feitas com Bisfenol A, um produto químico que interrompe o sistema endócrino do corpo, imitando o papel dos hormônios naturais do organismo. O BPA é liberado quando o plástico é aquecido após certas temperaturas.

10 – Mantenha sua pele livre dos parabenos

 Os parabenos são produtos químicos que impedem a formação de bactérias e agem como um conservante, presentes em desodorantes, loções, batons, shampoos, etc.

Estudos têm mostrado que alguns parabenos podem imitar a atividade do hormônio estrogênio nas células do corpo, e eles foram encontrados presentes em tumores de mama. No entanto, ainda não há uma ligação conclusiva entre parabenos e câncer, mas se você está desconfiado, é bom usar produtos livres deste componente.

9 – Cuidado com os sulfatos

Os sulfatos são produtos químicos que fazem seus shampoos terem aquela espuma agradável, que dá a sensação de limpeza. Eles podem causar uma série de problemas para os seus cabelos, incluindo a secagem, irritando o couro cabeludo, além de desbotarem sua coloração e fazer seus cabelos caírem. Opte sempre pelas opções mais ecológicas que os químicos são reduzidos nestes casos.

Use o menu abaixo para continuar lendo o artigo.

Luciana Calogeras é professora e pesquisadora curiosa em diversas áreas do conhecimento. Qualquer sugestão ou feedback, fique à vontade para entrar em contato em seu perfil do Facebook.

Comentários