Esconderijo na Antártida pode ter ajudado pinguins a sobreviver à Era do Gelo

3.790 visitas
A última idade do gelo da Terra era tão fria que mesmo os pinguins da Antártida tiveram problemas com o frio, segundo um novo estudo.

A última idade do gelo da Terra era tão fria que mesmo os pinguins da Antártida tiveram problemas com o frio, segundo um novo estudo.

Apenas três populações de pinguins-imperadores (Aptenodytes forsteri) provavelmente sobreviveram a última idade do gelo, que ocorreu cerca de 19500 a 16000 anos atrás, com uma dessas populações tendo sobrevivido possivelmente com a criação de um refúgio no Mar de Ross, um corpo de água na Antártida, ao sudeste da Nova Zelândia, disseram os pesquisadores.

No estudo, os pesquisadores examinaram como a mudança climática afetou pinguins-imperadores durante os últimos 30000 anos. Eles olharam para a diversidade genética das populações modernas e antigas de pinguins-imperadores na Antártida, e estimaram como elas tinham mudado ao longo do tempo.

Hoje em dia, pinguins-imperadores vivem no gelo do mar durante os invernos antárticos, quando as temperaturas podem cair para menos 30 graus Celsius. Mas, durante a última era do gelo, o aumento do gelo do mar pode ter torado a sobrevivência difícil, especialmente com as temperaturas do ar, que eram 13ºC mais frias do que são hoje, disseram os pesquisadores

Além disso, a população total era cerca de sete vezes menor do que é hoje, e era dividida em três populações diferentes, eles descobriram.

Um dos grupos se isolou dentro do Mar Ross, mas os outros dois grupos acasalaram entre si em suas respectivas localizações na Antártida, desde Terra Adélia até o Mar de Weddell. Em vez de se misturar com outros pinguins, os pinguins-imperadores do Mar Ross permaneceram escodidos, recebendo uma assinatura genética única.

“Devido à existência do dobro de gelo sobre o mar na última idade do gelo, os pinguins eram incapazes de acasalar em muitas áreas da Antártida”, disse Gemma Clucas, estudante de pós-doutorado em Ciências do Mar e da Terra da Universidade de Southampton, e uma das principais autoras do estudo.

É provável que um corpo de água em volta do gelo permitiu que os pinguins-imperadores sobrevivessem.

A mudança climática continua a afetar o Mar de Ross atualmente. Na verdade, as mudanças nos padrões de vento que estão vinculadas à mudança climática aumentaram a quantidade de gelo presente no mar ao longo das últimas décadas. Mas acredita-se que esse padrão será revertido até o final do século, dizem os pesquisadores.

O estudo foi publicado no dia 1º de março na revista Global Change Biology. [LiveScience]

Comentários