7 armas estranhas e incrivelmente avançadas que a História esqueceu

7 armas estranhas e incrivelmente avançadas que a História esqueceu
9.023 visitas
Veja a seguir as 7 armas mais estranhas e incrivelmente avançadas esquecidas pela História.

Ao longo da história diversas civilizações criaram armas incrivelmente curiosas para defenderem-se em guerras. Por incrível que pareça elas se mostraram muito eficientes e inclusive contribuíram com o desenvolvimento de outras tecnologias que conhecemos.

Veja a seguir as 7 armas mais estranhas e incrivelmente avançadas esquecidas pela História:

7 – As bombas balão

Os japoneses desenvolveram uma bomba balão chamada Fu Go, que seria uma arma utilizada para atacar os Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial.

Foi em 1944 que cerca de nove mil balões foram enviados aos EUA, porém apenas mil conseguiram chegar ao destino, cruzando as linhas alta tensão que levava aos reatores nucleares. Tudo isso causou uma explosão de grande escala, deixando prejuízos diversos à nação.

6 – As temíveis minas submersas

Durante os séculos 14 e 15 os japoneses aprimoravam sua técnica em fazer minas submersas, de modo que então apareceu o chamado o “submarino dragão rei”. Essas minas explodiam a partir do contato com oxigênio e faziam um estrago imenso aos alvos de guerra. Após 300 anos de esquecimento as minas submersas voltaram com tudo, principalmente no Ocidente, no período da Guerra Revolucionária.

5 – Obsidianas afiadas

Sim, elas são os mesmos “vidro de dragão” da série Game of Thrones. Considerada a rocha mais forte do mundo, no antigo Egito e nas civilizações astecas e maias a obsidiana era usada para os procedimentos cirúrgicos, como também eram incrivelmente afiadas para serem utilizadas com finalidades bélicas.

Sua força era tão grande que com apenas um golpe era possível decapitar um ser humano ou animais de grande porte.

Use o menu abaixo para continuar lendo o artigo.

Luciana Calogeras é professora e pesquisadora curiosa em diversas áreas do conhecimento. Qualquer sugestão ou feedback, fique à vontade para entrar em contato em seu perfil do Facebook.

Comentários